In the mood 4 love

Podia falar de Francis Lai ou listar a sua discografia. Mas para quê? Há coisas que só mesmo quando estamos in the mood.

Ora vá lá, moodem-se para aqui até fartar vilanagem.

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

14 respostas a In the mood 4 love

  1. Manuel S. Fonseca diz:

    Fez tanta música de filmes, não fez, Rita?

  2. Maria do Céu Brojo diz:

    Ora aqui está um autor cujas bandas sonoras são recorrentemente utilizadas para vídeos sobre arte. Um deleite estando á altura o pintor.
    Exemplo que não o melhor: trabalhos de Gerald Speekenbrink.

    • Rita V diz:

      Tem toda a razão, Se ele ouvir este arranjo, com os seus 80 anos, até se arrepia ah ah ah – mais um bocadinho e nem a música escapava.
      ah ah ah

  3. curioso (ma non topo) diz:

    onde?

  4. curioso (no ware) diz:

    costuma deduzir na mouche mas aqui aproveitou bem a deixa e bem deixou-nos com esta adorável companhia, em música e arranjo e letra, em admirável complemento para traduzir o intra duzível: amor 😉 Lovely Rita, i agri é veri ware 😉

  5. curioso (topo ma non troppo) diz:

    @ Maria do Céu Brojo diz:
    Novembro 24, 2012 ás 12:57
    Ora aqui está um autor

    onde?

    • Rita V diz:

      Se clicar no video que a Maria do Céu Brojo inseriu acima do Gerald Spe­e­ken­brink o fundo musical é do Francis Lai – Love Story.

  6. curioso (batuteiro) diz:

    gostei. mas no ‘Ora aqui está’ não o encontrei: são (des)estilos (des)encontrados do 3º grau 😉

Os comentários estão fechados.