Movies

a oscilante linha de horizonte

Algum cinema de que gosto muito é “a inconstante e móvel eternidade a fixar-se em imagem”. Em Ford, muito antes de Oliveira ou Straub, a câmara não mexe, o enquadramento é sublime e a integridade da oscilante linha de horizonte é-nos devolvida na forma de frisos: uma linha de cavaleiros, a lenta e implorativa linha de uma colina.

Tudo se fixa, lento, até à insuportável quietude de um plano fixo. Um frame depois, como as marés, o alarme do nitrato faz o filme voltar a mover-se. Movie. Se não, ardia.

a insuportável quietude

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

13 respostas a Movies

  1. Rita V diz:

    Uhm! Ainda bem que está a falar de filmes.
    😉

  2. Os movies só promovem a infidelidade:

  3. O Ford é o realizador que conheço (mais do que o Hawks, mais do que o Lang, mais do que o Renoir) que mais vezes coloca a câmara no único sítio onde ela pode estar.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Não é que seja exactamente onde a põe, só que depois de a pôr ali percebe-se que já não se pode colocar em mais lado nenhum.

  4. Maria João Freitas diz:

    Manuel,
    Depois de ver este texto e de ler as suas imagens, lembrei-me de uma greguería do Rámon Gómez de la Serna, que cito de cor: O cinema nasceu no dia em que as nuvens da fotografia se começaram a mover.

  5. Manuel S. Fonseca diz:

    Sweet thing to say

  6. curioso (maxister) diz:

    @ Manuel S. Fonseca diz:
    Novembro 27, 2012 ás 23:25
    POis sim, Táxi, nada esti­mula mais a fide­li­dade do que a infidelidade

    grande pensamento (epi táfio / happy phrase): tenho pena de não ter pena 😉 o ‘mais’ torna-a numa máxima!

    “Bom senso é a capacidade de ver as coisas como são e fazê-las como devem ser feitas.”(Josh Billings.)
    “Não fique na cama a não ser que você possa ganhar dinheiro nela.”(George Burns).
    “Uma máxima admirável: nunca mais falar das coisas depois de elas já estarem feitas.” (Montesquieu)

  7. nanovp diz:

    A cãmara fixa para que o mundo todo se movie-mente…!

  8. Maria do Céu Brojo diz:

    Que lástima ter-me atrasado e o significante ter já sido dito…

Os comentários estão fechados.