Os olhos

Há um filme, em technicolor, em que os mais belos e azuis olhos do cinema, os de Paul Newman, se atravessam nos mais belos violet eyes do mundo, os de Elizabeth Taylor. Eram quatro globos oculares em fogo, a derreter o zinco do telhado sulista de Tennessee Williams. Os olhos dele não estão à altura e perdem para os olhos dela. Mas nunca os olhos de um homem estão à altura dos olhos da mulher que ama.

 

ps — se bem que nunca os olhos da pequenina, apetecível, fogosa, carnal, erotíssima Taylor, tenham voltado a ser tão belos como eram belos a preto e branco no A Place in the Sun do honesto George Stevens. Largos, luminosos, límpidos.

 

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

21 respostas a Os olhos

  1. Os olhos da Dame Elisabeth Taylor são violet mesmo a preto e branco, de tão impressionantes que são.

  2. Só mesmo o Manel para nos pôr os ‘olhinhos’ a brilhar!

  3. nanovp diz:

    Olhos nos olhos…

  4. Ana Rita Seabra diz:

    os olhos do Paul arrasam qualquer mulher 🙂

    só conheci uma pessoa que tinha os olhos mais bonitos deste mundo e mudavam de cor conforme o tempo/luz do dia, ora eram verdes, ora eram azuis – os olhos do meu pai

  5. Panurgo diz:

    Assim é fácil meter o mulherio aos pulos. Truques!

  6. Fátima ramos diz:

    Este “Seja triste, comente” fez-me vencer a timidez de aqui comentar …

    Só para vos dizer o quanto gosto da companhia do Escrever é triste, e como me divirto com os vossos comentários!.

    Mas hoje os meus olhos pequenos e de um castanho vulgar, sentiram-se ainda mais pequeninos …

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Hello TIta, sê bem vinda. Podes empre comentar a cantar. Faz-nos falta uma boa voz.

  7. Os olhos de Elizabeth eram faróis violetas, mas não garanto que se atracasse incólume. 😉

    Ah,pra mim, a melhor companhia para o azul de Newman foi Redford, no faroeste mais divertido de que me recordo.

    (e a ser verdade o que dizem, imaginava ele que na sua lápide iria: “Aqui jaz Paul Newman, que morreu fracassado porque seus olhos se tornaram castanhos”. Nunca foi um fracasso e os olhos que se fecharam, fecharam-se azuis)

  8. curioso (ambli ope) diz:

    só os olhos? olhem que não… ponham esses lindos olhos em restos/rOstOs horríveis e depois digam-nos que são lindOs de mOrrer 🙁 (lá no fundO há até os OlhOs da alma e o amor, sendo cego, será que Os vê?)

  9. Maria do Céu Brojo diz:

    Falta o amarelo, o laranja e o encarnado no resumido arco-íris dos olhos que lemos. Lembro a originalidade dos da Marie Lafôret. Até do laranja e amarelo tinham nuances na magnífica miscelânea que os tornou únicos.

    • curioso (multicromado) diz:

      preto, castanho, cinzento, …

      Maïténa Marie Brigitte Doumenach … Maïtena, which is of Basque origin, means “beloved”
      and also resembles the diminutive of the name Marie-Thérèse, “Maïthé”…At the age of three Marie suffered a sexual trauma which affected her for longtime… Her career began accidentally in 1959 when she replaced her sister at the last minute in a French radio talent contest Naissance d’une étoile (birth of a star) and won. Director Louis Malle then cast the young starlet in the film he was shooting at the time, Liberté, a project he finally abandoned, making Laforêt’s first appearance on screen opposite actor Alain Delon in René Clément’s 1960 drama Plein Soleil… After this film she became very popular and interpreted many roles in the 1960s. She married director Jean-Gabriel Albicocco, who cast her in some of his own works, including La Fille aux Yeux d’Or (The Girl with the Golden Eyes), based on the Balzac story, which would become her nickname

      será esta a verdadeira cor dos olhos dela?

  10. Carolina diz:

    Olha, estive no mesma situação, não sabia se me apaixonava pelos olhos do Paul ou se chorava de inveja dos olhos da Elizabeth…Maravilhosos

Os comentários estão fechados.