A Bíblia dos pobres

 

Dedicado, com muito amor, às elucubrações teológicas de maître Fonseca:

Amai-vos uns aos outros. É tudo!

O resto é teologia, exegese,

interpretação.

O resto é o sexo dos anjos

que é o orgulho dos cultos

(para quem o sexo é demasiado animal)

O resto não tem grande moral

nem tem grandeza

O resto é assexuadamente chato

e difícil de entender.

É por isso que a Bíblia dos pobres,

aquela que Jesus pregou

é simples como a água:

Amai-vos!

E pronto!

Podem começar.

Sobre Henrique Monteiro

Nunca fui um sedutor, embora amasse algumas mulheres hospitaleiras. Nunca fugi de um combate, mas sempre invejei quem, ao abrir as portas de um saloon, provoca pânico entre os bandidos. Tenho nas veias sangue jacobino, mas odeio revoluções e igualdades uniformizadoras. Sou pacato e desordeiro, anarquista institucional, maestro falhado, cantor romântico e piroso a quem falta tom. Sem nunca me levar a sério - no melhor sentido da palavra, acho que apenas sou um homem bom (e barato).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

15 respostas a A Bíblia dos pobres

  1. curioso (caridoso) diz:

    já estou (quase) a terminar: os 10 se encerram em 2: a Deus sobre todas as coisas e ao Próximo como a Vós mesmos.

  2. Lindo: Amai-vos!
    Obrigado.

  3. Pedro Bidarra diz:

    É natal no Escrever é Triste. O espírito da quadra possuiu os meus amigos

  4. Henrique Monteiro diz:

    Resposta parva: isto não é uma quadra, é uma 16ª em verso branco 🙂

    • Ivone Costa diz:

      🙂 Os versos são brancos para combinar com a quadra, isto até na métrica anda tudo ligado.

    • Pedro Bidarra diz:

      É o Espírito da 16ª, numa sexta, dia sete. (aliteração parva)

      • Henrique Monteiro diz:

        Eis da quadra o vero espírito:
        Amo-vos do coração
        O resto é somente branco

        • curioso (bate bate coração) diz:

          será branco também o Amor (e negro o Ódio) ou verde ( e vermelho) ou vermelho (e vermelho) por ser do coração?

          estou fora do esquema: o (meu) coração não sente: só bate. senão, fico abatido. e baterão (?) os sinos (e alguns corações, compaixões, sem paixões).

  5. Ana Rita Seabra diz:

    Um começo bonito, sem dúvida!

  6. Vasco (da) Gama diz:

    A propósito de pobreza, gostava de recomendar (moderadamente) uma conta do facebook, que é simultaneamente pobre (quasi mendicante), fofa e … (aqui faltou-me um adjectivo)
    também é bastante adequada para uma sexta meia-tola:

    http://www.facebook.com/FabricaEscrita

  7. Henrique, desteologizo-me já. Amo. Podia ser um grande programa eleitoral.

    ps – temos de resolver isto do Maître, Mestre, que só há um, o da lojinha do Mestre André. Qualquer Fonseca que se maître é um usurpador

  8. nanovp diz:

    Pois é, tão simples afinal…mas o Homem não consegue parar de complicar…

Os comentários estão fechados.