Declaração de interesse futuro

Se quem de direito entender que eu, à hora da morte, tenho direito a estar no paraíso com 70 virgens, fique sabendo que, pessoalmente, não faço questão de que sejam virgens, basta-me que sejam interessantes. Não quero que tenham trabalho por minha causa…

Sobre Henrique Monteiro

Nunca fui um sedutor, embora amasse algumas mulheres hospitaleiras. Nunca fugi de um combate, mas sempre invejei quem, ao abrir as portas de um saloon, provoca pânico entre os bandidos. Tenho nas veias sangue jacobino, mas odeio revoluções e igualdades uniformizadoras. Sou pacato e desordeiro, anarquista institucional, maestro falhado, cantor romântico e piroso a quem falta tom. Sem nunca me levar a sério - no melhor sentido da palavra, acho que apenas sou um homem bom (e barato).
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

28 respostas a Declaração de interesse futuro

  1. Luís Paiva diz:

    Barato não quer dizer que custe pouco… 😉

  2. Vasco (da) Gama diz:

    mas, 70?… Henrique, cá para mim não sabes o que pedes, não sei se esse paraíso não passava rapidamente a ser outra coisa qualquer.

  3. Panurgo diz:

    Isso é muito bonito para quem andou sempre em carros novos. Agora, quem montou sempre veículos em segunda mão, alguns saídos directamente do reboque, ou do sucateiro, até certas viaturas deixadas num estado lamentável pelos antigos donos, para esses também era bom dar-se a ver como é que é o material de origem, ali por estrear novinho em folha.

  4. Manuel S. Fonseca diz:

    Henrique, não comeces com essa coisa portuguesa de estar sempre a baixar os standards. Se está escrito que são virgesn, é mesmo para serem virgens.

    • Henrique Monteiro diz:

      Mas as virgens dão trabalho, é preciso explicar muita coisa… Já basta o trabalho usual e ainda mais este… Sabes, Manuel, eu sou como aquela canção dos Beatles, Honey Pie, que diz “You’re driving me crazy, I’m in love but I’m lazy”. Estás a ver?

  5. Jorge Silva diz:

    Grande Manuel!

  6. Excelente, Henrique! Tenho gostado de o vir a conhecer!… 🙂

    • Curioso (hic labor) diz:

      Bem… Talvez exagere na quantidade: 70 é para quem está na força da juventude não regateia esforços virgin ais… Depois vai diminuindo e 7 já é uma glória para quem for con templativo 😉

  7. Vasco (da) Gama diz:

    agora pergunto-me a mim mesmo, o que queria o Henrique dizer com “interessantes” (não faço ques­tão de que sejam vir­gens, basta-me que sejam inte­res­san­tes.). Mas estavas no paraíso com 70 mulheres interessantes e querias fazer o que? um exército ? um convento?
    Isto é muito esquisito. E achas que vais parar ao paraíso?

    • Panurgo diz:

      Segundo entendi, deve ser uma espécie de Portal Privado dos monhês. Tem que se ouvi-las a falar do Brasil que agora está muito desenvolvido, e das saudades da família de Salvador. E no fim ela diz que nunca gozou como com cê, né. Deve ser isso, não sei.

      • Passo aqui diariamente mas sempre esqueço de comentar que, olha, o Brasil está muito desenvolvido e sinto tanta saudade de Fortaleza (que é até perto de Salvador… em padrões continentais). Mas gozar, bom, já gozei bastante, não tenho muito a acrescentar nesse quesito…

    • maria joão Vasconcelos diz:

      O Henrique vai querer voltar á terra com aquela mulherada toda

  8. Henrique Monteiro diz:

    Nunca respondo a quem não faz perguntas interessantes. E quem decide o interesse das perguntas sou eu. Mai nada

  9. curioso (modera dor) diz:

    decidido por si: admitindo que só lhe vão caber 7 (quando lá chegar… e com forças ainda mais diminuídas… ) terá todo o interesse em ter apenas uma por noite e as 7 (depois de par lamentarem durante o dia) decidem qual a triste a ser mimoseada à noite, não sendo permitido bisar 😉

  10. Henrique Monteiro diz:

    Só conversaria, penso que no paraíso somos etéreos.

  11. curioso (pro feta) diz:

    um aparente desperdício de ‘tempo’, de acordo com Muhammad Al-Munajid

  12. Maria do Céu Brojo diz:

    Uma benesse para os jardineiros que temem a desfloração.

  13. Ana Rita Seabra diz:

    Caro Henrique,
    Seja feita à sua vontade…

  14. nanovp diz:

    A cavado dado não se olha o dente, mesmo a caminhar para a cam(a)pa…

Os comentários estão fechados.