Philosophy is the talk on a cereal box

De acordo com as estatísticas da WHO, morrem em média, por dia, cento e cinquenta e sete mil e quatrocentas pessoas. Para essas hoje foi mesmo o fim do mundo. De acordo com um estudo da Reuters, quinze por cento da população mundial estava mesmo convencida que o mundo acabava hoje.  Significa isto, que para cerca de vinte e três mil e seiscentas pessoas, a morte, hoje, chegou com alguma naturalidade tendo-nos estes seguramente deixado num muito interessante estado de espírito. E de duas uma. Ou nos olham agora desiludidos e invejosos da resiliência nossa e deste planeta em que vivemos ou então não nos olham de todo porque não podem e então, de alguma forma, o meu mundo acabou também hoje – com quarenta ou cinquenta anos de margem de erro, mais coisa menos coisa.

Isto estatisticamente falando claro.

“I Wanna Go To Marz” – John Grant, Queen of Denmark, 2012

Sobre Vasco Grilo

Quando era rapazola dei demasiadas cabeçadas com a minha pobre caixa de osso. Hoje, como deliciosa consequência, encontro a minha razão intermitente como uma rede WI-FI, sem fios nem contrato fixo. Por vezes suspeito que a minha alma seja a de um velho tirano sexista e sanguinário, prisioneiro no corpo perfumado e bem-falante de um jovem republicano. Mas talvez eu seja só é um bocado sonso. A cidade para onde me mudei no final do século passado chama-se Aerotrópolis. Daqui partem todas as estradas e para aqui todas elas confluem. Em seu redor e para minha sorte, está um mundo que é grande e ainda muito comestível. Creio que a verdadeira felicidade possa causar uma certa tristeza. E por isso e só por isso, aqui, escreverei.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

Uma resposta a Philosophy is the talk on a cereal box

  1. curioso (pas toi) diz:

    encore bien que tu me trouves 😉

Os comentários estão fechados.