Repertório de Natal?

assis  valente

Assis Valente na década de 1930

Que tal Assis Valente, sambista de muito sucesso nas décadas de 30 e 40, nascido na mesma pequena cidade santo-amarense de Caetano Veloso? Baiano mas com todo o suingue, a astúcia e a gíria cariocas. Compositor de “Camisa Listrada”,  “Brasil Pandeiro” e de um sem número de outras canções que cantamos como hinos. Gravado por João Gilberto, Carmem Miranda, Elis Regina, Gal Costa, Maria Bethânia, Chico Buarque, Novos Baianos, Adriana Calcanhoto, Fagner, o próprio Caetano, entre tantos outros.

(E, bem a propósito de ontem, há este “E o mundo não se acabou”, que é de 1938, numa deliciosa versão da não menos deliciosa Paula Toller) :

De Santo Amaro, onde foi criado como filho adoptivo, Valente passou a Salvador. Na capital da Bahia, cursou o Liceu de Artes e Ofícios. Em seguida, a reboque de um circo mambembe, o Rio, onde trabalhou como protético e chegou a ganhar alguns trocados como desenhista, antes de compor os primeiros sambas. O famoso Heitor dos Prazeres foi um de seus incentivadores. Depois, foram sucessos encarrilhados. Alguns na voz de Carmem Miranda e consagrados em Hollywood. É lendária sua facilidade tanto para compor sambas quanto para vender-lhes a autoria ao preço de uma rodada de chope.

Assis Valente suicidou-se ao ingerir formicida num banco de praça. Era um fim de tarde tranquilo e quente, março de 1958. No bolso de seu paletó havia um bilhete sentimental. Ele tinha problemas com credores. Troikas privadas assombravam-lhe os sonhos. Já havia tentado sem sucesso pular do Morro do Corcovado, e topado com uma copa de chapéu de sol, que amorteceu-lhe a queda. Era negro, pobre, vindo do Nordeste, uma combinação um tanto letal à época. E, como se não bastasse, em algum lugar também comenta-se de preferências sexuais próximas às de Cole Porter. Tinha 47 anos.

Valente é autor de um tema de Natal, “Boas Festas”, perto de tão popular quanto “Noite Feliz”. Foi composto originalmente para o Natal de 1933 e, portanto, completará 80 anos, em 2013. E não deixa de ser estranho que essa canção seja incluída em coletâneas de música de Natal. E que ao escutá-la na infância, pelo ritmo e a melodia, passe um tanto despercebida, em meio às demais. E só quando chegamos à mais idade venha a percepção de sua distinção, ao atentarmos para a letra.

Poderia ser a versão de João Gilberto. Mas vamos de Maria Bethânia:

UM FELIZ NATAL PARA TODOS! E AQUELE ABRAÇO!

Sobre Ruy Vasconcelos

Nasci mais ou menos no Brasil. Vivi em alguns lugares distantes. Em trânsito. Em transe. Em tradução. Por aí, ocupado com palavras. Palavrinhas, palavronas. Conheci estes amigos portugueses um blogue atrás. E gostei do que li.
Esta entrada foi publicada em Está Escrito. ligação permanente.

8 respostas a Repertório de Natal?

  1. Curioso (agradece) diz:

    Ainda cá’stamos 😉
    Aquele [email protected]ço

  2. Excelente postagem! Obrigado!
    Um Feliz Natal p/ vc. também.

  3. Tão bem escrita, a escrita de Assis! Uma maravilha a forma como anoitece de Natal neste seu post, Ruy. Não há coisa mais alegre no Natal do que uma pontinha de tristeza.

    Feliz Natal Ruy.

  4. Pedro Norton diz:

    Valente post! Feliz Natal.

  5. riVta diz:

    Primo um abraço de bom Natal cheio de Samba.belo post!

  6. nanovp diz:

    Que onda quente essa “letra” e esse texto que atravessou o oceano em véspera de Natal…grande abraço e Boas Festas nessa terra de boa música!

  7. Ruy Vasconcelos diz:

    Obrigado ainda esta vez pela leitura, meus bravos. E renovo votos de um Natal Feliz, e de uma Consoada farta e bem compartida!

    Forte abraço, queridos! E beijinhos às moçoilas!

Os comentários estão fechados.