Um ano de Escrever é Triste

femchat_grand1

A primeira imagem do Escrever: Pierre-Auguste Renoir, Rapariga com Gato.

Há um ano que Escrever é Triste. Se calhar há séculos. Para mim, na companhia dos meus amigos Tristes, como eles pau mandado da Tia Escrever, há um ano. É bem melhor um ano. Para um ano há sempre memória, para um século só esquecimento.

Do que eu mais gosto neste Escrever despretensioso, eclético, exageradamente sentimental, é da liberdade. Num ano, experimentei a liberdade de ideologia, a liberdade de gosto, a liberdade de espartilhos académicos, até a liberdade de sentido. Dos sentidos, também.  Foi um ano gourmet de desgustação de liberdades. (Anda o mundo como anda e nós a regalarmo-nos, barriga cheia de liberdade.)

Tristes, começámos 12. Hoje somos 16 e o Nuno Rodrigues da Costa a pôr-nos na linda linha gráfica que a Tia manda. O Escrever é Triste é feito porque queremos e não tem objectivo nenhum. Ninguém está aqui para substituir uma ou qualquer coisa que não pudesse fazer se quisesse: fazer política, escrever livros, ser artista, fazer jornalismo, fazer filmes, tudo isso e um par de botas está ao alcance ou foi, é e será mesmo feito por cada um dos Tristes. O Escrever está para além disso. É um oásis de calma, volúpia e beleza. É o sítio onde nos estamos completamente nas tintas como pouca gente tem a liberdade de se estar nas tintas. Somos nós e, livres, assinamos com o nosso nome.

Escrever é Triste é uma bela, inútil e esplêndida parvoíce. Gosto de estar aqui. Assim.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

27 respostas a Um ano de Escrever é Triste

  1. Panurgo diz:

    E é sempre bom vir aqui lê-lo e falar consigo. Sempre.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      É mais do que bom que alguém nos conceda o favor da sua atenção, da sua inteligência. Obrigado.

  2. CC diz:

    Os tristes criaram um lugar feliz. Parabéns!
    ~CC~

  3. Maria do Céu Brojo diz:

    Que dizer mais dum lugar onde me sinto tão bem?

  4. Vasco (da) Gama diz:

    escrever é triste é um local aprazível e com uma fantástica vista sobre o grande mar azul

  5. Parabéns! tenha um lindo Aniversário.

  6. soniab1973 diz:

    Eu descobri esta ilha de tristes há muito pouco tempo. Perdi eu, já o sei!
    Escrever pode ser triste, mas ler o que de tão bom se escreve por aqui sem pagar nada é uma alegria!
    Parabém, Manuel, e aos restantes membros do blog.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Sonia, sem pagar nada? Um dia mandamos-lhe a conta, via ministério das finanças, claro.
      Visite-nos sempre

  7. Pedro Bidarra diz:

    É família da que se escolhe fazer parte. Está-se bem

  8. Quem chega depois na festa ainda ganha bolo?

  9. Cá na casa da Tia há sempre doçuras e travessuras, é Triste mas uma festa. Está sempre a tempo para o bolo, Borboletas 🙂
    Parabéns Titi! Viva nós.

  10. parabéns à Tia e aos sobrinhos

  11. Rita V diz:

    Um ano de Escrever é Triste. Que bom!

  12. Curioso (com pincha) diz:

    De que terá morrido o ETGM? Falta de liberdade ou de tia? Vida longa e triste ao EéT 😉

  13. A tristeza paga dívidas, porque o dinheiro vai todo para os credores:

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Bem vês, estimado Taxi, que nós já não temos dinheiro. Só letras. A ver se as descontamos.

  14. nanovp diz:

    Nos tempos que correm um ano parece mesmo um século no melhor sentido do valor do tempo. É bom saber que na tristeza que perdura muita alegria se propaga! É bom também fazer parte desta idiossincrática família…

Os comentários estão fechados.