A princesa ao colo de São Jorge

Listen, lords, in bower and hall,
I sing the wonderous birth
Of brave St. George, whose valorous arm
Rid monsters from the earth

 São Jorge e o Dragão (1456), Paolo Ucello

São Jorge e o Dragão (1470), Paolo Ucello
Veio do Leste devagarinho este santo, um passo no século X, outro no século XI. Caminhou para Norte e os ingleses, São Jorge, fizeram dele patrono. 
São Jorge contra os mais terríveis monstros e, dentre os mais terríveis, São Jorge contra o carcereiro cruel, o dragão que cospe fogo dos infernos, o dragão de grandes patas caminhando mais rápido do que a luz de Deus. São Jorge, no cavalo branco, a firme e longa lança no braço viril, mata-o. 
O dragão, abjecto, baba de fogo, urra, sopra, resfolega, uiva. A lança de ponta de prata de São Jorge cavaleiro espeta e mata-o. A princesa, pura, virgem, pura, outra vez princesa, hierática, salva-se – abre um pouco as lindas pernas, e encaixa-se no dorso suave do cavalo branco, livre agora do dragão comedor de dois cordeiros por dia ou de um cordeiro e uma virgem. Monta – monta, princesa, monta – o cavalo de São Jorge matador. Ó princesa de sapatinhos vermelhos, alvo pescoço comprido, figurinha de Paolo Ucello, ouve o grito do Rei Lear e não deixes que a piedade te oponha à justa ira de São Jorge: Come not between the Dragon and his wrath
glosa pobre a um tema que foi ricamente tratado aqui
A Princesa e o Dragão (1456), Paolo Ucello

A Princesa e o Dragão (1456), Paolo Ucello

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

8 respostas a A princesa ao colo de São Jorge

  1. Ivone Costa diz:

    Gostei tanto, Manuel, ai se gostei tanto. Já tinha trazido para aqui esse quadro, logo no primeiro post que escrevi, precisamente porque São Jorge e Uccello e os dragões e os sapatinhos das princesas é tudo coisa muito cá de casa. Que boa ideia, Manuel.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Fiz batota, Ivone, este texto já tem uns aninhos. Recuperei-o. E boa ideia foi lembrar-me o seu lindo post. Já fiz link.

  2. Rita V diz:

    A Ivone falou no seu post dos anos que separam um quadro do outro. Ao reler a entrada da Ivone no EéT percebi que de Agosto até aqui voaram 5 meses. Não sei o que é que o tempo fez às Princesas e e aos Dragões de hoje, nem onde se meterem os valentes.

  3. Rita, está tudo a em reformas antecipadas, das princesas aos valente…

  4. Fun! Fez tão boa batota. E bem desenterrado o outro lado do mesmo Ucello.

  5. nanovp diz:

    Fiquei a pensar na Princesa….

Os comentários estão fechados.