An apple a day keeps the doctor away

 

Em resposta ao desafio da Maria João aqui  no Museu das Curtas

Adão-e-Eva

Sobre pintura de Vic­tor Brau­ner, Adão e Eva, 1923, 70 x 100 cm, ICEM, Tulcea

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Museu das Curtas. ligação permanente.

22 respostas a An apple a day keeps the doctor away

  1. Julieta do Romeu diz:

    Apesar de não ser triste – não me canso de escrever isto – vou comentar. Rita: absolutamente delicioso!

  2. Maria do Céu Brojo diz:

    Um mimo! Soubera eu animar assim…

  3. curioso (come tudo) diz:

    e se lhe acrescentasse a fala (?):

    – come, está lavadinha…

    – hummm, cheira também, crunchhh… crunch… crunch…

    – engoliste as sementes? 😉

  4. Ivone Costa diz:

    Oh, Rita, que coisa mais engraçada. O que eu já me ri e se estava precisada…

  5. Ana Rita Seabra diz:

    That’s it 🙂

    beijinhos

  6. Uma terrível dentada.

  7. Henrique Monteiro diz:

    Ó Rita, isto é mesmo o tipo de coisa que eu invejo tanto!!!! Tinha tanto a dizer se tivesse jeito para desenhar… Parabéns

  8. Valupi diz:

    Um ano que começa com esta dentada tem tudo para satisfazer os mais esfomeados de paraísos perdidos ou por achar.

    Muito obrigado pela simpatia lá na casa, Rita, e que este seja o melhor 2013 das nossas (muitas, e belas, e heróicas) vidas.

    Beijos,
    V

  9. Só agora consegui ver esta sangria desatada! Já me ri, claro.

  10. nanovp diz:

    Perfeito e hilariante Rita!

  11. Maria João Freitas diz:

    Rita,
    Que delícia, a primeira dentada em loop até à eternidade…

Os comentários estão fechados.