Bisar é Brom

no espaço público do público
Bisarparabéns


Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

13 respostas a Bisar é Brom

  1. Seria um erro pensar-se que os luso-homens tropeçam nos “c”, a questão arrasta todo o abecedário, e percorrido até ao “z”, o luso-homem necessita também de uma refundação:

  2. Parece leve, mas é profundo. Tem razão, Eugénia: em pequeninas coisas de que abdicamos, não pôr o pires debaixo da chávena para não o lavarmos, não pormos um olá e um nome num e-mail para despacharmos a coisa, vamos perdendo estética, vamos perdendo o conforto e a protecção civilizacional que herdámos. Dissipamos sem proveito.
    Fez bem trazer este artigo, Rita, mas junte-se a mim para reclamarmos da Eugénia que, como o PMS, o PN e até este escriba, seja, elle-même, a trazer aqui os artigos que publica na Imprensa, com uma imagem linda daquelas que ela escolhe e os outros ademanes que julgue conveniente.

  3. Ivone Costa diz:

    Já li, já li. É bom ler a Eugénia logo pelo domingos de manhã. E sim, claro, pelas palavras todas ditas até ao fim com tudo a que temos direito e sim, claro, a Eugénia que plasme aqui os escritos que escreve na Imprensa. Vá lá, please.

  4. E a si, menina Rita, plasmou-me aqui em praça pública e sem um ai… Já lhe disse merci pelos parabéns acima? Merci.

  5. Evita diz:

    Relaccionado q.b. com o artigo postado, ensinar ás criancinhas regras de comportamento em sociedade, a dizer por favor, obrigado, com licença, desculpe, é ainda atribuição dos pais, tão importante como providenciar educação, saúde e refeições a horas? Sei que amor não é só isto, mas isto será desamor? Seremos capazes de amar criancinhas que não saibam, pelo menos, agradecer e pedir desculpa?

  6. Maria do Céu Brojo diz:

    Parabéns! 🙂

Os comentários estão fechados.