O Lanche

Astrakan_eet

As tias velhas quando entravam, penduravam os Astrakans no cabide que vergava sempre sobre o peso da naftalina. Para os casacos não se confundirem ( eram iguaizinhos) tinham bordado a ouro as iniciais no forro.

O lanche, tinha sempre a mesma ‘carta’ ou ementa:

Doce de laranja, chá de Bergamota e 2 scones para cada uma. Vassalo, sempre presente, servia o açúcar a gosto:
– 2 colherzinhas Srª D. Wanda?
– Ai Vassalo, ponha ponha. Cheias por favor!
– Mascavado, Srª D. Alzira?
– Sim , sim, dois quadradinhos, obrigada.
– E a Srª D. Berta, quer Hermesetas por causa da sua diabetes?
– Não Vassalo, hoje é um dia especial. Adoçando a voz pedia: – Meia colher de açúcar se faz favor.
Vassalo serviu chá à tia Celeste, que tinha feito uma promessa de nunca mais pôr açúcar no chá, e retirou-se para a cozinha.
Os miúdos, a correr de um lado para o outro,  riam-se das tias e o do velho Sr. Vassalo que as mimava até mais não. Cada tia tinha um nome ‘macaco’ dado pela miudagem, nome sussurrado pelos cantos da casa no dia da reunião.
Naquele momento um estrondo despertou a metodologia do lanche. O Gonçalinho ‘maluco’ filho do caseiro da quinta, tinha atirado o bengaleiro ao chão e gritava:
– A Madame Cu, a Madame Cu, a Madame Cu está cá em casa hoje a tomar chá!
Os mais novos não tardaram a fugir para o jardim e ainda se ouviu bichanar:
– O casaco da Tia Retrete ’tá no chão.
Vassalo apressou-se a ir espreitar o sucedido e deu de caras com o seguinte espectáculo no fim do corredor.  Quatro Astrakans iguaizinhos amontoavam-se aos pés do bengaleiro. Virado do avesso, um casaco parecia fazer a paródia da garotada: As iniciais «WC» brilhavam no interior do forro do casaco da tia Wanda Costa.

 

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

23 respostas a O Lanche

  1. curioso (des focado) diz:

    devido ao adiantado da hora… uns upside downs na minha óptica:

    a primeira nesga da imagem por baixo do lanche fez ver uma rabanada com uma dentada … 😉

    o cabide dobrado sobre o peso da naftalina fez ver a naftalina na zona dos sovacos… 🙂

    o WC a brilhar no interior do forro fez-me pirilampos tipo raio laser a trespassar o dito?

    a Bergamota fez ir ao Google e concluir que não temos cádisso 🙁

    o Google fez ver que a sorte do senhor Vassalo podia ser outra se lhe acrescentasse um éle?

    • Refugiado em Portugal, Vassalo deixou cair um éle, acrescentou um ‘s’ e tirou um ‘i’ para não dar nas vistas! Na terra dele era muito mais aristocrata que as tias velhas.
      😀
      Nem tudo o que parece é …

  2. Temos chá de bergamota, sim, é o Earl Grey. A Twinings faz um Earl Grey delicioso.

    • curioso (ber gamo) diz:

      volta a mandar o Google: mais 2 que não são de cá e o tal chá é adicionado com óleo de Berga mota, fruto que não temos cá, ah ha 😉

      ps – pêsames pelo chá verde (às riscas) 🙁

    • É mesmo daquelas coisas que quem prova não esquece, beijinhos.

      • curioso (tangendo) diz:

        e que sorte a minha… já meteu o iPad na linha 😉

        pois com beijinhos… basta a tangerina

        para a próxima ex posição

  3. Maria do Céu Brojo diz:

    Que bem soube a leitura e o riso consequente!

  4. Ivone Costa diz:

    O casaco, Rita, que lindo casaco. E eu que gosto tanto de casacos. E vintage como este, então nem lhe conto …

  5. Rita, que história tão gira e tão bem contada. O que me ri!

    • Rita V diz:

      E o que me ri a escrevê-la. Nos rascunhos os miúdos eram muito mais mal educados mas como diz a Eugénia, o EéT é um blog de família não é?
      😀

  6. Havia uma canção da Filarmónica Fraude que falava destas exactas Tias e do astrakan, não havia, Rita?

  7. curioso (fraudo lento)) diz:

    o tal re fugiado? ganda bicho 😉

  8. nanovp diz:

    Eu gosto de lanches, mas seria sempre o ” gonçalinho maluco”….

  9. Ana Rita Seabra diz:

    e eu a tia

    Que delicia Rita 🙂

Os comentários estão fechados.