Tão desesperadamente português que até dói

Auto-retrato num grupo. Almada Negreiros.1925
Óleo sobre tela 83x57
CAM, Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa

Auto-retrato num grupo. Almada Negreiros.1925
Óleo sobre tela 83×57
CAM, Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa

Isto é só ideia minha, tenho muitas destas e nem todas se aproveitam. Arrumava imagens quando deparei com este Auto-retrato num grupo que Almada Negreiros pintou em 1925 para “A Brasileira” do Chiado. O que eu gosto desta pintura só eu sei e é muito, por várias razões que não são para aqui chamadas. Hoje olhei-a e nunca os tinha achado tão portugueses, até Júlia de Aguilar, a do cigarro elegante e que era espanhola, me parece portuguesa. Nem os sapatinhos de tiras cruzadas sobre o pé que Aurora Gil usa, nem o decote em barco do vestido dela, tão cosmopolita a sonhar Paris, conseguem deludir a tristeza portuguesa dos olhares. Tão portuguesa que até dói.

Sobre Ivone Mendes da Silva

Entre lobos e anjos me habituei a escrever. É talvez por isso que, para além de asas e de uivos, as palavras me tropecem e não encontrem sozinhas o caminho das folhas. Nessas alturas, peço para elas a bênção da tristeza, musa de sopro persistente, que triste me faz e a acolhedoras mesas me senta.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

20 respostas a Tão desesperadamente português que até dói

  1. Ivone Costa diz:

    A imagem devia ter ficado centrada e ser maior, mas eu sou muito inábil.

  2. http://purl.pt/22529/1/iconografia/zoom-grupo-do-leao.htm

    parece mal não parece? mas podíamos trocar a legenda e pôr lá os nosso nomes…parece mal não parece?
    ah ah ah

  3. Ivone Costa diz:

    Nem mais, Rita, nem mais 🙂

  4. Parece português, até pela ausência de comunicação…cada um para seu lado.

    curtosinstantes.blogspot.com

  5. Maria João Freitas diz:

    Ivone,
    O que eu gosto deste quadro. Tive um poster com ele, de uma exposição do Almada. E vários postais também. Ainda pensei em pendurá-lo no Museu das Curtas, quando a minha short-list já só tinha aí uns 12 quadros…

    • Ivone Costa diz:

      Também gosto imenso, Maria João. Oh, e se isto daria pano mangas no Museu das Curtas … por falar nisso, tenho de lá ir.

  6. Maria do Céu Brojo diz:

    Excelente dissertação.

  7. Pedro Bidarra diz:

    É um espelho. Parece um blog à mesa do café

  8. De facto, é de uma tristeza meiga e arranjadinha, Ivone. Mas o Almada foi dos poucos génios artísticos que tivemos, um futurista renascentista.

  9. nanovp diz:

    Português em tudo excepto no artista que o pintou, que foi um homem à frente do seu tempo….

Os comentários estão fechados.