Uma incómoda sensação de Déja Vu

Sacra Capilla de El Salvado, Úbeda. Dezembro 2012

Sacra Capilla de El Salvado, Úbeda. Dezembro 2012

Choquei com ela, mais ou menos por acaso. A Sacra Capilla del Salvador, erguendo-se com uma opulência improvável na vila de Úbeda, é considerado um dos monumentos mais importantes do renascimento espanhol. Entre outras coisas porque é obra de Diego de Siloé, arquitecto imperial, responsável pela edificação da Catedral de Granada e reconhecido como o nome maior da arquitectura espanhola do século XVI.

ó pra ele tão importante

ó pra ele tão importante

A capela foi construída como panteão familiar de Francisco de los Cobos y Molina que, para ser franco, nunca tinha visto mais gordo. Mas isso sou eu que sou inculto. Fui ali à Wikipedia e posso garantir-vos que, nasceu numa família com consideráveis problemas económicos mas morreu, depois de ter sido Secretário de Estado do Imperador Carlos V, Comendador de Castilla, Duque de Sabiote, um das personalidades mais influentes e poderosas da sua época e, mais relevante para o que aqui me traz, cheio de graveto. Tanto ou tão pouco que quis deixar para a posteridade, forrado a ouro, o templo de que vos falo e que é sobretudo um hino a uma vertiginosa ascensão social.

Posto isto, escusam de estar aí a perguntar como é que o vivaço enriqueceu. Eu só sei que do governante se dizia que “passaban por sus manos todos los negocios de España, de las Indias e Italia“. E se me disserem que tão extraordinário percurso e tão meteórica ascensão vos deixa com uma incómoda sensação de déja vu, que fique bem claro que essa miserável insinuação é problema que é só vosso.

Sacra Capilla de El Salvador II, Úbeda. Dezembro  de 2012

Sacra Capilla de El Salvador II, Úbeda. Dezembro de 2012

 

Sobre Pedro Norton

Já vos confessei em tempos que tive a mais feliz de todas as infâncias. E se me disserem que isso não tem nada a ver com tristeza eu digo-vos que estão muito, mas muito, enganados. Sou forrado a nostalgia. Com umas camadas de mau feitio e uma queda para a neurose, concedo. Gosto de mortos, de saudades, de músicas que nunca foram gravadas, de livros desaparecidos e de filmes que poderiam ter sido. E de um bom silêncio de pai para filho. Não me chamem é simpático. Afino.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

11 respostas a Uma incómoda sensação de Déja Vu

  1. Henrique Monteiro diz:

    En ronda andaluza, señor Cardinal? Por Úbeda, Jaén, Córdoba, Granada… Muy bien!

  2. fernando canhão diz:

    “Manière de voir”, Le Monde diplomatique, número 99 Juin / Juillet 2008, “L´Internationale des Riches” é o titulo da capa. São 98 páginas, a explicar, que salvo casos raros e não mencionados, toda a riqueza à séria, é obtida, mediante negócios não transparentes. Que fique bem claro Pedro, que se acreditar no Le Monde diplomatique, e nessa mise­rá­vel insi­nu­a­ção será um pro­blema que é só seu.

    • Pedro Norton diz:

      Não sei se é possível uma conclusão tão definitiva, caro Fernando. Mas que poder político e enriquecimento meteórico há muito andam a par, disso não tenho dúvidas.

  3. Abençoado graveto. Um tipo que forra a ouro uma capela destas merece todas as vertigens, mesmo a da ascensão social. Quem me dera que o meu síndroma vertiginoso fosse esse.

    • Pedro Norton diz:

      e qual é mestre? desconfio que as meninas tristes gostavam de saber mais sobre isso.

  4. Está uma pessoa a trabalhar martelando teclas de letras noite dentro, um horror de chuva lá fora, só para ser corrompida por uma fartura de ateus, começando na autoria cardinalícia, passando pelo ribombar das balas de canhão, pum!, e acabando em acções de graças ao graveto por um santo!

    Isto, gente incompreensiva, porém estimada, era tudo bondade daquele señor plasmado no boneco, o señor Quico Coiso Molina, que estava a devolver em géneros o recebido tal no sermão da montanha: Deus dá ao seu amigo lailailai enquanto dorme e não sei quê. Ele estava a agradecer ao intermediário: a igreja. Ingratos!

    • Pedro Norton diz:

      tem toda a razão menina eugénia. Hoje são todos uns ingratos. veja lá se há alguma igreja do BPN!

  5. Curioso (mal doso) diz:

    Quem tiver problemas com a despropositada insinuação pode desfazê-los na citada fonte.

  6. Pedro Bidarra diz:

    E ainda há quem ache que alguma coisa alguma vez há de mudar. Somos todos gorgulho no mesmo saco de farinha. Há é gorgulho que engorda mais

  7. maria de jesus pires da rocha diz:

    sou (serei?…), triste. Mas…por vezes fico contente. Quando vos leio.

Os comentários estão fechados.