Cartas de Amor: Caravaggio

caravaggiodavid
POETURA
(CARAVAGGIO)
OS IRMÃOS DAVID E GOLIAS

Podia saber porém não sei
quantas vezes David Caravaggio
cortou a cabeça a Golias Caravaggio
com a inútil espada aguda da sabedoria:
Humilitas Occidit Superbiam
Mas que besta usa freio?
E que arte se faz se a besta
não troa os cascos no escuro
até lhe arrancar a primeira faísca
e atear o fogo das estrelas?
Os animais domésticos
lambem as mãos dos donos
as feras não têm dono
rasgam o preto como rasgam a carne
é assim
David Caravaggio não matou Golias Caravaggio
num acto penitencial onde colhesse
o perdão
e estrada de volta a Roma
A inclinação amorosa do olhar não mente – tende
onde há compaixão há uma só carne e o amor está
Matou-o porque as feras têm de morrer
e antes às mãos de quem as ama
e de quem sem elas não pode viver

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

13 respostas a Cartas de Amor: Caravaggio

  1. curioso (caraggo) diz:

    tinha que ser: fica para a poster idade.

    nunca os tinha visto como irmãos, nem pintados. é bom induzir que assim foi, que assim seja.

    amem (-se)

    a humildade matou a inveja, entre irmãos, fez de pura ção

  2. Maria do Céu Brojo diz:

    David e Golias – metáfora sempre atual.

  3. Ivone Costa diz:

    Brutalmente bonito, Eugénia.

  4. maria diz:

    São feitos de negro,amor e desamor.Nem o sopro da manhã ,nem tarde alguma…Inalterável negro este…

    • Um dia, Maria, ando a prometer isto a mim mesma, hei-de fazer um texto em condições para este homem. Não há escuridão nem luz como estas que ele trouxe dos extremos da vida. Não podia gostar mais deste raio deste diabo!

  5. Manuel S. Fonseca diz:

    Tem toda a razão, Eugénia, Caravaggio não era um animal doméstico. Não era de lamber, era de morder.

  6. O desafio está tristemente mal colocado!
    Não consigo ser triste, mesmo com água e cloreto de sódio a escorrer pelo canal à direita ou seja à margem da lamecha.
    Gosto de vos ler. Aprendo a conhecer melhor, pessoas diferentes da minha aldeia.

Os comentários estão fechados.