Lotação Esgotada!

Congresso do Amor

aqui

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem.
Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton.
Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque… escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

28 respostas a Lotação Esgotada!

  1. Henrique Monteiro diz:

    E eu que estive segunda feira a almoçar na Quinta das Lágrimas e nem sabia de nada!!!!

  2. Olinda diz:

    tão lindo e apetitoso – onde fica?

  3. Tudo a Coimbra a ver o nosso casal, perdão, os nossos meninos!

  4. Ando fora do mundo, só agora me dei conta do evento. MSF e DL na Quinta das Lágrimas a congressar o amor. Portem-se bem, vejam lá …. está toda a gente a ver.

  5. Esta história ainda um dia há-de ser bem contada. Houve para aqui um estratagema, fui enganado (já não tenho idade para isso, é verdade) e o Congresso perdeu o coração mole do Pê Éne. Rolam lágrimas em Coimbra que esperava voltar a ter o seu Pedro. Quem sabe a história toda acho que é o Diogo.

  6. Diogo Leote diz:

    Pedro e Rita: é uma velha tradição do Congresso do Amor que as camas sejam redondas e com lotação ilimitada. Alguém se convenceu que o Manuel e eu (e o PN, que se baldou por já estar reformado de camas redondas) éramos “especialistas do amor” (isto dá vontade de rir mas está mesmo assim lá em cima no convite) e que podíamos contar historias para quem estiver em lua-de-mel nas Lágrimas. Por muito menos, a Erica Fontes anda a receber prémios pelo mundo fora.

  7. Panurgo diz:

    Estou a ver. É o Salão Erótico para intelectuais. De facto, lamenta-se profundamente a ausência da Erica, uma falha grave que não deixa de revelar algum amadorismo por parte da organização deste festival. Convidam padres, Don Juans, e esquecem-se de levar uma Nana que seja.

  8. Lurdes Abreu diz:

    Isso é que vai ser um desfilar de vaidades como é costume nestes encontros! Só quem nunca lá foi pode estar à espera de uma coisa “séria”. Como alguém escreveu um dia “é mais uma daquelas fundações que nos gamou (gama?) dinheiro que serve exclusivamente para uns amigos tomarem uns chás e comerem uns almocitos mais baratos. Com este distânciamento vou lá estar para me rir um bom bocado. Espero que os tristes não me desiludam 😉

    • Rita V. diz:

      Cara Lurdes Abreu. Felizmente há Fundações e Fundações.Não conheço a Fundação Inês de Castro mas iniciativas em que tristes falam de Amor, se ‘gamarem’ corações, ninguém os pode levar a mal.
      😀

  9. Lurdes Abreu diz:

    Cara Rita 😉

    se estiver recordada, aquando da minha primeira participação neste blog, referi que era natural da freguesia do Lorvão onde se situa o dito mosteiro (um serviço de psiquiatria recentemente encerrado) gerido nos seus primórdios pelas “Eças”. Lorvão fica muito próximo de Coimbra, local onde trabalho. Sempre que posso faço uma atracagem em tudo o que me possa seduzir no mundo da cultura, das artes… a fundação referida tem tido, a esse nível, alguma relevância dai saber qual o tipo de pessoas que frequentam, maioritariamente, este tipo de eventos. Muita naftalina, muito pó de arroz 🙂

    Há sempre uns outsiders que são ohados de soslaio pelas senhoras e os cavalheiros 🙂

    Cara Rita 😉
    escrevi o que escrevi para manifestar a minha preocupação e, eventualmente, os tristes presentes acanharem-se socorrendo-se de algum plano B 😉

    Bora lá gamar e ser gamado comme il faut

    🙂 🙂 🙂

    • Rita V diz:

      🙂
      tenho a certeza que o plano dos rapazes é divertirem-se.Tenho pena de não estar lá para ouvir os especialistas.
      ah ah ah
      depois conte-nos!

  10. Lurdes Abreu diz:

    Combinadérrimo :
    ahahahahahah

    😉

  11. Maria do Céu Brojo diz:

    Boa notícia! Olha «pra» mim deliciada.

Os comentários estão fechados.