Nada Além de uma Noite Especialmente Boa

 “Proibida Pra Mim” (1997) é uma canção do primeiro álbum dos Charlie Brown Jr. O grupo é de uma cidade bem mais famosa pelo futebol: Santos. E, no entanto, a canção foi longe, e embalou o tépido verão de 98. Com idas ao litoral Norte de São Paulo e ao Nordeste. Tocava no país inteiro. Converteu-se num talismã. Numa daquelas ubiquidades que vão bem com gestos, trilhas, praias. Um verão passeado. Road movie posto em acordes.

Os Charlie Brown Jr., ao longo dos anos, com sua síntese de street music, skate, banda desenhada (que lhes sugere o próprio nome) e metal pesado, ganhou Grammies e outros prêmios prestigiosos. Surgiram como um expoente adolescente na ultraurbanidade paulista. Quem podia supor que sairiam flores de toda aquela zoada. Ontem, seu lead vocal e principal mentor, Chorão, foi achado morto em seu apartamento em São Paulo. Tinha 43 anos e era sobrinho de uma grande dama da televisão brasileira.

Eles eram taff, mas tinham lá seus momentos de lirismo. Como em “Proibida Pra Mim”, acima na versão do trovador nordestino Zeca Baleiro. E há um trecho da letra que diz “Eu me flagrei pensando em você/ Em tudo que eu queria te dizer/ Em uma noite especialmente boa/ Não há nada mais que a gente possa fazer”.

 Nada mesmo.

*

(E é lindo, tão perto da fala brasileira, o modo como os pronomes embaralham. É “você” e ao mesmo tempo “te”. Porque na fala nossa o “você” surge mais usual e o “lhe” nos soa mais empolado. Mistérios que tempo, história e prática urdem aqui pelas esquinas de América).

Sobre Ruy Vasconcelos

Nasci mais ou menos no Brasil. Vivi em alguns lugares distantes. Em trânsito. Em transe. Em tradução. Por aí, ocupado com palavras. Palavrinhas, palavronas. Conheci estes amigos portugueses um blogue atrás. E gostei do que li.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Nada Além de uma Noite Especialmente Boa

  1. Manuel S. Fonseca diz:

    E é, isto sim, tudo o que um homem precisa: uma ou duas noites especialmente boas.

  2. Ivone Costa diz:

    E quando se lê um post seu é um dia especialmente bom.

  3. Adoro “eu me flagrei pensando em você”
    muito bonito!
    obrigado Ruy

  4. Já tinha saudades primo!

  5. nanovp diz:

    Que voz e que música, grande guitarra ( violão como vocês dizem não é ?) e bela harmónica …mas acima de tudo as palavras que rolam, o “brasileiro” parece ser mais sonoro que o “português” na música….

  6. Rita V. diz:

    Gostei tanto deste triste post.
    Primo, saudades tinha já.
    😛

Os comentários estão fechados.