A crise também é isto

Acabo de ler na “Vulture” uma peça magnífica sobre uma porção da realeza literária da América, o casal Claire Messud/James Wood (cujas opiniões/críticas sobre o ‘state of the art’ do romance largamente partilho). E pergunto: onde se poderia publicar em Portugal uma peça assim?

Sobre Pedro Marta Santos

Queria mesmo era ser o Rui Costa. Ou sonâmbulo profissional. Se não escrever, desapareço – é o que me paga as contas desde 1991 (são 20 anos de carreira, o disco está a sair). Há momentos em que gosto mais de filmes do que de pessoas, o que seria trágico se não fosse cómico – mas passa-me depressa. Também gosto dos olhos da Anna Calvi. E das bifanas do Vítor. Aprecio um brinde: “À confusão dos nossos inimigos”. Não tenho nenhuns, só uma ternura infinita pelo azul das árvores e o amarelo do mar. E peço: digam-me mentiras.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

6 respostas a A crise também é isto

  1. Aqui, querido Pedro. Aqui pode-se. E, na verdade, só somos responsáveis pelos nossos actos e suas consequências – ainda bem, já é uma fartura do caneco.

  2. E se deixasse o link para ajudares estes pobres de Cristo? Ou não há link?

  3. Onde, Eugénia? Diga-me o endereço dessa distinta publicação e vou lá bater à porta com 12 mil caracteres sobre o fantasma de Robert Johnson. Ou 1000 sobre os filhos de Escher. Acha que assim dá, senhor engenheiro? http://www.vulture.com/2013/04/claire-messud-and-james-wood-on-the-woman-upstairs.html

    • Aqui, é mesmo aqui, Pedro, no Triste blog, não estou a ver outro lugar, mas gostava. Sabe, tenho lido coisas online que, salvo algumas felizes excepções, já não se encontram em papel. Tenho muito pena que o papel tenha desistido dos leitores. Mas é assim mesmo. E se calhar é por isso que os leitores também estão a desistir das publicações.

      Ainda temos os livros.

  4. Ruy Vasconcelos diz:

    James Wood é o último crítico inteligente na América. Depois dele só politicamente corretos ou Phd’s in Gender, Literature and Cross Cultural Studies.

  5. Concordo muito com os dois, Eugénia e Ruy.

Os comentários estão fechados.