A frio, a ferver

Conheço bem o nosso editorial, mas uma vez não são vezes: temos o pior governo de sempre, a pior oposição de sempre, a pior Europa dos últimos 60 anos e o pior mundo dos últimos 20. A fusão a frio de mediocridade, fundamentalismo e ausência de empatia é no que dá. Solução: trabalhar mais, pensar melhor.

Sobre Pedro Marta Santos

Queria mesmo era ser o Rui Costa. Ou sonâmbulo profissional. Se não escrever, desapareço – é o que me paga as contas desde 1991 (são 20 anos de carreira, o disco está a sair). Há momentos em que gosto mais de filmes do que de pessoas, o que seria trágico se não fosse cómico – mas passa-me depressa. Também gosto dos olhos da Anna Calvi. E das bifanas do Vítor. Aprecio um brinde: “À confusão dos nossos inimigos”. Não tenho nenhuns, só uma ternura infinita pelo azul das árvores e o amarelo do mar. E peço: digam-me mentiras.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

10 respostas a A frio, a ferver

  1. Bruto da Silva diz:

    Peca por omissão ou é intencional desprezo?
    Nos últimos 20 anos o mundo foi suficientemente bom.

  2. Olinda diz:

    é isso. e do pensar nascem as narrativas.:-)

  3. Mário diz:

    A culpa é do capitalismo. Não selvagem, que isso não existe. Ou é ou não é. E o mundo é. E é o melhor (por isso é que venceu). Agora, o capitalismo é como amanhar um peixe venenoso: se for mal feito mata-se a clientela toda. E que mal amanhado ele está.

    PS: também dá para fazer uma analogia com o futebol: o importante não é o sistema, é a dinâmica 🙂

  4. mónica diz:

    o pior mundo? que umbigo tão feio!

  5. Sim. Mas e o trabalho onde trabalhar mais e pensar melhor, onde está?

    • Bruto da Silva diz:

      Cada um (cada qual) inventa o seu: há aqui tristes exemplos 😉

      (a remuneração é outra abordagem)

  6. That’s the million dollar question for at least a million people, my dear friend Eugénia.

  7. nanovp diz:

    Vai ser preciso renascer dos escombros, e isso pode não ser tão mau assim…

  8. Se os escombros não forem demasiado pesados para nos erguermos deles, concordo contigo Bernardo.

  9. Maria do Céu Brojo diz:

    Nem foi preciso relambório para dizer sentir comum. Assim, sim.

Os comentários estão fechados.