Bliss

No outro dia estava a pensar uma grandessíssima verdade: muito melhor do que começar do princípio é recomeçar do ponto em que se está. É mais feliz porque nada do que somos vai fora e mais inteligente porque usamos os nossos erros como ferramentas para acertar.

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática com as tags . ligação permanente.

15 respostas a Bliss

  1. GRocha diz:

    Concordo consigo. Há que ser inteligente utilizando os nossos erros para mudar ou acertar a nossa vida! 🙂

  2. Maria do Céu Brojo diz:

    Tal qual!

  3. Mário diz:

    Mas não é por isso que deixaríamos de cometer os mesmos erros, uma e outra vez, no que diz respeito a assuntos do coração…

  4. Bruto da Silva diz:

    O melhor que se me ocorre a este respeito é o que está a dar na TSF 😉

    Nunca se recomeça do início e se deixássemos de ser quem somos… não recomeçávamos… era outro que começava.

  5. Bruto da Silva diz:

    Ah… falta acrescentar que aprender com os erros não é inteligente. Inteligente é não cometer erros, é pensar e agir com acerto.

  6. Está enganado: há mudanças drásticas e terríveis, não creio que sirvam o nosso melhor interesse, a não ser em excepção.

    E a inteligência erra: um erro serve para descobrir como se acerta, ou se preferir, é uma forma de saber como não se faz, exactamente o que se quer fazer. É informação. É aprendizagem.

  7. Bruto da Silva diz:

    Pois não estamos de acordo: nada será como dantes, continuaremos sempre a partir do momento onde chegámos e com todas as consequências (felizes ou nem por isso) que resultam do percurso feito até aí e a partir daí.

    E não, inteligência não é isso. Não é preciso ser inteligente para aprender com os erros: basta que doa, que incomode, que custe maior esforço.

    Def. – Conjunto de todas as faculdades intelectuais (memória, imaginação, juízo, raciocínio, abstracção e concepção).

  8. Completamente de acordo, irá certamente acontecer.

  9. nanovp diz:

    O começar é todos os dias….e a partir sempre do agora…

  10. É bem pensado, tanto mais que ninguém volta ao princípio. Ou não deixam ou não se pode ou não se quer ou não se consegue.

Os comentários estão fechados.