Os Pediatras Infanticidas

Os coveiros que enterraram de forma metódica e, por vezes festiva, essa criança subnutrida chamada Portugal, saem agora em massa dos cemitérios para os salões públicos receitando poções e mezinhas para ressuscitar o menino. É a mesma coisa que dar a Nero um balde de água para apagar o fogo na Via Ápia. Ninguém arranja um sabre para cortar a língua a esta mole de comentadores? Não é por nada, mas já se começa a tornar um bocadinho desagradável.

Sobre Pedro Marta Santos

Queria mesmo era ser o Rui Costa. Ou sonâmbulo profissional. Se não escrever, desapareço – é o que me paga as contas desde 1991 (são 20 anos de carreira, o disco está a sair). Há momentos em que gosto mais de filmes do que de pessoas, o que seria trágico se não fosse cómico – mas passa-me depressa. Também gosto dos olhos da Anna Calvi. E das bifanas do Vítor. Aprecio um brinde: “À confusão dos nossos inimigos”. Não tenho nenhuns, só uma ternura infinita pelo azul das árvores e o amarelo do mar. E peço: digam-me mentiras.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

9 respostas a Os Pediatras Infanticidas

  1. Ou um berbequinzito?!

  2. Ruy Vasconcelos diz:

    Isso é certo. Consoladores de Jó. É um saco, mesmo. E receitas a torto.

  3. Maria do Céu Brojo diz:

    Muito delicado no tratamento da questão. Sabre não tenho, mas espada militar do meu pai pode contribuir.

  4. Enfio-me no mezzo e deixo-me estar, enquanto leio ou escrevo. Não aguento tanto paleio, muito dele, pateta! Faz-me mal não sei a quê! Acho que a tudo!

  5. Miguel Ângelo Cândido Augusto diz:

    Talvez cicuta,assim ficava tudo romanizado,alea jacta est…

  6. nanovp diz:

    Deixei mesmo de practicar ( o ecrã da TV sem som é já um clássico), algumas noticias aqui e ali sobre biologia e sobre o Cosmos e a possibilidade de um meteriorito arrasar com parte do planeta…Mas se precisares tenho lá em casa um martelo pesado, dos antigos…

  7. Talvez a castração química. Ao menos parariam de nos violentar à grande e à francesa.

    • Bruto da Silva diz:

      OOps… então a coisa é ao nível dos esperma to zóides? Ou dos ó vu los?

  8. Mário diz:

    A culpa não é dos comentadores, é de quem lhes dá tempo de antena…

    Uma vez estive com um fulano que me entregou um cartão de visita onde constava o nome – obviamente, e a profissão: ex-deputado…uma vez na política sempre político, quando não se está no activo comenta-se (para encarreirar novamente)

Os comentários estão fechados.