Amor tem fim?

DESDE O OSSO ATÉ AO OSSO
É muito tarde para despedidas
Podemos inaugurar um silêncio tremendo
como o que sucedeu à feitura do mundo
Dizer adeus requer que saibamos ser
um sem o outro
um sem a memória do outro
e essa página de esquecimento
não existe no livro da vida – lá onde nos conhecemos
desde o osso e até ao osso
desde a escuridão do pó onde se tece a matéria
à clara voz do riso
Inauguremos então o tremendo silêncio
Mas antes digo
diariamente farei como sempre
como no tempo da fala
o caminho de sempre
de lanterna acesa
para alumiar o longo corredor estreito
e abrirei ao fim os portões altos
para escoar a noite nas asas das primeiras aves
até aos limites da aurora

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

21 respostas a Amor tem fim?

  1. O amor, depois de amado, por mais que se despeça – “com os dedos no crâneo despedimo-nos” – fica sempre e ainda amor.

  2. Olinda diz:

    só se for do osso até ao osso.:-)

  3. Bruto da Silva diz:

    SLB, lanterna e aves dizem (sem fala) que sim 🙁

  4. Rita V. diz:

    Coisa tão bonita

  5. Ivone Mendes da Silva diz:

    Um beleza, menina Eugénia, uma beleza sem fim.

  6. ana diz:

    não o amor não tem fim, fica às vezes como ternura, outras como a aquele não sei quê que nos incomoda porque não insistimos, mas se foi amor fica sempre.

  7. nanovp diz:

    O tremendo silêncio abre portas infinitas à imaginação…belíssimo Eugenia!

  8. teresa conceicao diz:

    Eugénia,
    sabe bem a calma desta certeza, “diariamente farei como sempre”, mesmo quando o silêncio já se instalou. É tão fácil esquecer a origem, “lá onde nos conhecemos”.
    Que bom sermos assim lembrados, com palavras que apetece enrolar na língua e deixar ficar.

  9. Maria João Freitas diz:

    Eugénia
    Dizer adeus ao amor ainda é mais difícil do que dizer-lhe olá. Sobretudo porque ele não se quer despedir.

  10. Paula Santos diz:

    É muito cedo para reencontros.
    Despedi-me de ti mas não foi de ti que me despedi.
    Foi da página que não existe no livro da vida.
    Amor tem fim?
    Vou perguntar à Eugénia. 🙂

  11. celeste martins diz:

    o amor..não tem fim. Vai doendo docemente….numa despedida que não quer ser….de adeus. Pega-se à pele e deixa uma lágrima aflorar e que todo o corpo sente!!!

Os comentários estão fechados.