Enfant terrible aos 70

"A Rapariga de Parte Nenhuma", de Jean-Claude Brisseau

“A Rapariga de Parte Nenhuma”, de Jean-Claude Brisseau

Com Jean-Claude Brisseau não há meios termos: ou se gosta ou se detesta. Condenado no início dos anos 2000 a pena suspensa de prisão por assédio sexual a duas das actrizes de “Coisas Secretas” – esse excelente estudo do sexo como instrumento de poder -, Brisseau mantém-se, aos 70 anos, como o enfant terrible do cinema francês. Aqui, com 50 mil euros, uma câmara de vídeo digital e o recurso ao seu próprio apartamento, interpreta Michel Devilliers, solitário professor de matemática, viúvo há 29 anos, que recolhe Dora (Virginie Legeay), uma pulposa sem-abrigo, tornando-a cúmplice na escrita de um livro sobre religião, arte e os mistérios da vida. Leopardo de Ouro em Locarno 2012, o filme é surpreendentemente desprovido de erotismo. Claro que se mantém o gosto por filmar o corpo feminino de “Coisas Secretas”, e o misticismo do curioso “os Anjos Exterminadores”: Dora talvez seja a reencarnação da mulher de Michel, e faz levitar mesas. Há uma espécie de história de fantasmas tomada pela filosofia, mais estimulante do que a maioria das fitas em exibição. Se está para aí virado, arrisque.

Publicado na revista Sábado

Sobre Pedro Marta Santos

Queria mesmo era ser o Rui Costa. Ou sonâmbulo profissional. Se não escrever, desapareço – é o que me paga as contas desde 1991 (são 20 anos de carreira, o disco está a sair). Há momentos em que gosto mais de filmes do que de pessoas, o que seria trágico se não fosse cómico – mas passa-me depressa. Também gosto dos olhos da Anna Calvi. E das bifanas do Vítor. Aprecio um brinde: “À confusão dos nossos inimigos”. Não tenho nenhuns, só uma ternura infinita pelo azul das árvores e o amarelo do mar. E peço: digam-me mentiras.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Enfant terrible aos 70

  1. Rita V diz:

    uhm…like the cat!

  2. Ivone Mendes da Silva diz:

    Ah, esse adjectivo “pulposa”, faz anos que não ouvia isso 🙂

  3. Ah, Dora, Dora, é já este fim-de-semana.

  4. Adora, doutor, adora. Que não seja a tua quarta desilusão consecutiva com os meus palpites. Cheira-me mesmo que sim, mas estás feito uma águia invencível, portanto…

  5. nanovp diz:

    Pois arrebitou a vontade e curiosidade…

  6. Maria do Céu Brojo diz:

    Vou-me a ele!

Os comentários estão fechados.