Insónias

Mesmo que possa explicar por que razão não dormem as noites,
algumas noites que os deuses deixaram entre nós para que nelas se igualasse
a condição eterna, a que não desfalece nem dobra até ao chão o corpo
despojado dos ardis insistentes do Tempo,
não quero fazê-lo porque me sabe a corte de asas toda a explicação
de noites ou de dias ou do que se diz aos outros,
lançada a âncora a adjectivos movediços onde de firmeza só há
a persistente fé nas palavras.
Por isso, as noites que não dormem, ei-las: mar talvez, e escuro,
se é assim que vês melhor
a distância que vai, cor de jacinto, entre as vésperas e a repetição da Aurora .
De resto pouco mais: as noites são as filhas da Errância, cortejo de pequenas deusas
com suas pálpebras inconclusas e mil teogonias por contar
e no conto que dançam e acrescentam quebram-se ânforas e os seus pés eternos
batem ritmados nos degraus das Horas. Olha para mim que dou a volta à vida
com um lastro de mitos e uma memória que pesa em cada transbordo.
Sei de heróis e de lobos, os que chegam pela alcateia da madrugada
e sorriem compassivos à minha aljava de poucas setas,
inútil como uma metáfora anacrónica.
Quererias um tratado, por certo, assim De noctibus e um percurso seguro
de conceitos reconhecíveis, prontos a começar uma carreira.
Não quero. Não explico as noites que não dormem, nem a ti que as mereces,
mas digo-te onde podes procurar uma noite que seja semelhante
à girândola de grifos e de arcanjos que guardam o fogo
e me chamam irmã.
Semelhante apenas, porque a última edição está esgotada.

Sobre Ivone Mendes da Silva

Entre lobos e anjos me habituei a escrever. É talvez por isso que, para além de asas e de uivos, as palavras me tropecem e não encontrem sozinhas o caminho das folhas. Nessas alturas, peço para elas a bênção da tristeza, musa de sopro persistente, que triste me faz e a acolhedoras mesas me senta.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

14 respostas a Insónias

  1. Bruto da Silva diz:

    “inútil como uma metáfora anacrónica” bem triste mas preocupante. haja luz, seja dia!

  2. Pedro Bidarra diz:

    Insónia produtiva. E linda

  3. nanovp diz:

    A noite, que é boa conselheira, vive-se muitas vezes acordada, de olhos abertos…

  4. Maria do Céu Brojo diz:

    Das noites, o sossegado desassossego. O melhor.

  5. Manuel S. Fonseca diz:

    Há insónias em que se pode dormir bem. Bom embalo.

  6. riVta diz:

    «Olha para mim que dou a volta à vida»
    😀

Os comentários estão fechados.