Ó meu rico Santo Antoninho, não te desgraces…

ISTO ASSIM NÃO PODE SER, MEU RICO SANTO!

Ó meu rico Santo António
Isto assim não pode ser
Tenho um Amor e não sei
Onde raio se foi esconder
E ele – espero que triste
Há-de ter pensamento igual
Ó malvada mulher que fugiste
E que grande é Portugal!
Ó meu rico Santo António
Isto assim não pode ser
Estou aqui estou a apagar
A vela que acabei de Te acender

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.

Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

5 respostas a Ó meu rico Santo Antoninho, não te desgraces…

  1. Eugénia a versejar assim para o ano está nas Marchas. O Peéne a segurar o arco, o Henrique com um balão e a Rita Vasconcellos de linda varina. E se a Marcha do “Escrever é Triste” ganhar, no ano seguinte vamos ao Carnaval do Rio com o Ruy em topless à frente da Escola.

  2. Pois, mas a quadra é mais que perfeita.

  3. Maria do Céu Brojo diz:

    Olha se eu era capaz de tal!

Os comentários estão fechados.