You

e a ver este pequeno filme de animação lembrei-me de todas as pessoas que julguei amar e de como é possível ser tão feliz a lembrar que há princípios sem fim porque simplesmente … se redesenham

 

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem.
Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton.
Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque… escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

15 respostas a You

  1. Ivone Mendes da Silva diz:

    E o segredo é redesenhar …

  2. Manuel S. Fonseca diz:

    Quem me dera dançar… Um belo thought of you.

  3. Bruto da Silva diz:

    Só me ocorre cantar “Lovely, Rita” 😉

    (ex cuse me)

  4. Meninas, não, não… o segredo é dançar.

  5. Olinda diz:

    🙂 e quando se julga que se ama – ama-se, carago! 🙂

  6. nanovp diz:

    É assim a vida, sempre a redesenhar-se, pequenas transformações que se sobrepõem…

  7. Maria do Céu Brojo diz:

    Vai fazer-me dançar todo o santo dia, ainda que aparente somente caminhar.

Os comentários estão fechados.