Arquivos Mensais: Julho 2013

Os comboios, a estrada, a morte

A morte não é só habitual, é constante. E é, sempre, um sobressalto: a humanidade sempre chorou mesmo a mais natural das mortes, rasgou as vestes nas mortes trágicas, mães e pais rojaram-se no chão quando intempestivamente lhes morreram os … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 10 Comentários

Jünger, poeta e soldado

  Hoje pode fazer-se tudo e ninguém se importa com nada. Estabeleçamos, por exemplo, uma tipologia para os intelectuais. Atrevo-me a sugerir uma categoria, a do intelectual guerreiro, requerendo já o extremo favor de ninguém confundir a nomenclatura com meninos … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 6 Comentários

Má,má, má!

Se eu fosse má, queria ser uma má em condições como as da Bette Davis. Mas não mandamos na nossa maldade – ela é que manda em nós. Sou má, pasme-se, como o Cão. O Cão uma vez saltou do … Continuar a ler

Publicado em Post livre | Tags | 8 Comentários

O balde, a pá, a areia – milhares de anos de história

Os miúdos vão ao mar, enchem os baldes e os regadores, e tentam, depois, encher de água os buracos que fizeram na areia. São piscinas, são poços, são o que a sua imaginação quer. Nas brincadeiras de praia não há … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 4 Comentários

Para onde foi a alegria que vivemos?

No final de Julho espreguiço-me numa cadeira à beira mar. E posso passar assim um dia, entre a praia e a piscina. Olho os miúdos, as minhas netas e os netos dos amigos. Foi até aqui que a vida nos … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 10 Comentários

Algures aonde eu nunca tinha viajado

A primeira vez que li um poema de e.e. cummings foi num filme de Woody Allen. Em Hannah and her sisters, Elliot (Michael Caine), o marido de Hannah (Mia Farrow) oferecia um livro com esse poema (era o da página … Continuar a ler

Publicado em Está Escrito | 6 Comentários

A Limonada

Cortava a cebola bem fina na cozinha enquanto as amigas não chegavam para o almoço. O telemóvel já tinha tocado várias vezes, mas não era ninguém a perguntar pelo número da porta ou andar, pelo que não era importante atender. … Continuar a ler

Publicado em Post livre | Tags | 18 Comentários

Os meus retratos – Manuel San Payo

  Já todos sabem de quem é a culpa: da Rita. Desde que Escrever é Triste que a Rita traz retratos. Convida artistas e eles desenham livremente esta vossa Escrever. Depois, o Nuno planta lá em cima, a encabeçar o … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 1 Comentário

História de uma bebedeira no Serengeti

  O champanhe, é sabido, é para as ocasiões especiais. Mas que motivo especial é esse que pode justificar sermos recebidos com uma garrafa de champanhe depois dum passeio de balão? Cheira a novo-riquismo por todos os lados, pois é. … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 8 Comentários

Morrer Com Um Sorriso na Boca

  Morbidamente refrescante, “A Loja dos Suicídios” é um belo “blind date” cinematográfico para um Verão mais ambíguo do que o Michael Corleone do primeiro “O Padrinho”. Numa cidade onde chove com frequência e o único calor disponível está num … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 5 Comentários

Calem-se duma vez por todas

Quando era pequena, se alguém tinha cancro, era alguém. Alguém é muito longe quando se é pequeno. Alguém é um estranho contado, não é de carne e osso. Então, o cancro era muito longe como uma raridade. Outras coisas terríveis … Continuar a ler

Publicado em Post livre | Tags | 23 Comentários

A noite mais escura é a noite do caçador

  Do calor das cinco da tarde veio um riso de criança. Estou em Lisboa e a alegria irresponsável de uma gargalhada infantil interrompe-me a siesta andaluza. Julgava que já não havia crianças nas ruas de Portugal. Quando é que … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 12 Comentários

Da varanda da minha cidade

  Claro que podemos gastar os neurónios a fazer análise politica da mais fina. Da mais inteligente. Podemos calcular, com requintes de sofisticação ou de malvadez, o deve e o haver de todos os actores da farsa que parou o … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 9 Comentários

Repetir bem é melhor do que inovar mal

  Quando, em 1692, os soldados de Luis XIV invadiram Estugarda, já Johann Pachelbel tinha composto o Canon para 3 violinos e um violoncelo que hoje tanto nos consola e nos obriga a lembrar-lhe o nome. O organista Johann Pachelbel tinha … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 5 Comentários

Sete dias de sexo selvagem em Ngorongoro

  Bendito seja o leão que o homem comerá e o leão em humano se tornará; e maldito seja o homem que o leão comerá, e o leão se tornará humano. Em A Confissão da Leoa, de Mia Couto    … Continuar a ler

Publicado em Post livre | 9 Comentários