O ponto G

 

Conselho de um valentíssimo céptico aos meus amigos e amigas mais militantes: é preciso descobrir o ponto G do Poder.

 

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

13 respostas a O ponto G

  1. António Barreto diz:

    Essa é fácil.

  2. Bruto da Silva diz:

    Para rimar, pode ser G de Gaspar 😉

    (para variar, e disfarçar, pode ser Gaivota, porque Grândola e Greve já são folque-lore)

  3. Encontre-se antes o ponto K:

  4. Pedro Bidarra diz:

    O ponto G do poder está no meio do ego.
    Excita-se com a pequena vénia, o salamaleque, a reverência e o elogio. Excita-se também com a crítica, com o insulto, com o impropério até com o ataque violento desde que perpetrado pela sua némesis

  5. Maria do Céu Brojo diz:

    Descobri-lo não me traria novidade. Isto, admitindo que existe. Nem do meu sei e, na ignorância, tenho-me dado muitíssimo bem.

  6. nanovp diz:

    Boa sorte Manuel, nessa árdua tarefa…

  7. Olinda diz:

    ois eu cá penso que o ponto G do poder está, ou deverá estar, acima do umbigo e abaixo da língua.

Os comentários estão fechados.