Ouvindo o que o mar dizia III

Mar IX

Mar VII

 

Sobre Pedro Norton

Já vos confessei em tempos que tive a mais feliz de todas as infâncias. E se me disserem que isso não tem nada a ver com tristeza eu digo-vos que estão muito, mas muito, enganados. Sou forrado a nostalgia. Com umas camadas de mau feitio e uma queda para a neurose, concedo. Gosto de mortos, de saudades, de músicas que nunca foram gravadas, de livros desaparecidos e de filmes que poderiam ter sido. E de um bom silêncio de pai para filho. Não me chamem é simpático. Afino.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Ouvindo o que o mar dizia III

  1. E ao Mar VII fez-se o mar em três mares e alguém disse que isso era bom.

  2. Carla L. diz:

    Percebe que naquela leve ondulação ele diz: cuidado para não se perder na ilusória linearidade?
    Mais um pouco vejo chegar a chuva fina que se aproxima quase em silêncio como um véu de organza coroando a promessa de dias felizes.
    Merci, Monsieur P.N.

  3. ai que bom ver este mar agora no momento em que o país foi ao fundo 🙁

  4. ana moreira diz:

    Obrigada Pedro por partilhar o que o seu mar dizia.
    Gosto especialmente deste.
    Inspirador.

  5. Maria do Céu Brojo diz:

    Que tríptico inspirador!

  6. nanovp diz:

    já não oiço, só vejo, deslumbrado….

Os comentários estão fechados.