O esplendor da estatística

Estatística 1

Eu comi um pão e tu nenhum. Cada um comeu meio pão.
Eu comi dois pães e tu nenhum. Cada um comeu um pão.
Eu comi seis pães e tu nenhum. Cada um comeu três pães.
Não percebo porque andas tão magro se comes tanto pão.

Estatística 2

Dei-te 50 cêntimos de retribuição e achaste pouco.
Aumentei-te 300 por cento e dizes que não chega.
Cheguei a um aumento de 500 por cento e continuas a dizer que és mal pago.
Tens mau feitio!

 

Sobre Henrique Monteiro

Nunca fui um sedutor, embora amasse algumas mulheres hospitaleiras. Nunca fugi de um combate, mas sempre invejei quem, ao abrir as portas de um saloon, provoca pânico entre os bandidos. Tenho nas veias sangue jacobino, mas odeio revoluções e igualdades uniformizadoras. Sou pacato e desordeiro, anarquista institucional, maestro falhado, cantor romântico e piroso a quem falta tom. Sem nunca me levar a sério - no melhor sentido da palavra, acho que apenas sou um homem bom (e barato).
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

3 respostas a O esplendor da estatística

  1. Realmente a estatística persegue-nos e é tão fácil criar falsas estatísticas…Gosto do vosso blog e sei o que é escrever e não receber feed-back de quem nos lê. Vou passar a comentar mais e a deixar menos likes. Parabéns e – continuem

  2. A estatística é maior que o dinheiro:

  3. nanovp diz:

    Número não pensa nem deixa sorriso…

Os comentários estão fechados.