Possidónio!

Quando queremos ser mauzinhos, zás, mordemos. É uma coisa que nos ficou de bebés. Fazer o quê? E vá de possidoneira pelas fuças da vítima – queria o quê, dar um rosto a um piroso do piorio? Fuças e não diga que vai daqui, seu saloio! Escusa de se irritar, estou a usar-me dos sinónimos do dicionário e isto para não recorrer ao substantivo definidor que é de carácter político, não vão depois dizer que estou a chamar nomes a não sei quem. Adiante.

O que queria mesmo saber é porque raio arrastamos este possidónio sabe Deus desde quando? Possidónio era um filósofo do melhor que há. Dizem até que Cícero lhe entregou uns textinhos e lhe disse: ó filho, põe-me lá isto a tinir que é para de impressionar o indígena – se calhar esta do indígena é do Ega para o Carlinhos da Maia a propósito de uma peliça, um raio de um forno, uma possidoneira para o clima ameno de Lisboa. E Pompeu? Pompeu não deslargava Possidónio: menino, posso ir ver-te, ou estás muito ocupado? Não me digas que foste viajar outra vez, rapaz, e a pegada de carbono no mediterrâneo? Parece mentira… logo tu, um matemático, um geógrafo, um historiador, um homem da ética, da lógica, enfim, do diabo a quatro que já se me cansa a língua, e não paras quieto.

Resumido e espremido: das duas uma: ou alguém me explica tim-tim por tim-tim este mistério vindo de egrégio avós, ou de hoje em diante corro tudo a palhaço! que de saloios sempre gostei.

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

12 respostas a Possidónio!

  1. Palhaço… não enriquece:

  2. vamos só ver a realidade, a palhaçada, só para entendermos. e ignorar o resto – e tudo o resto é mistério.

  3. Bruto da Silva diz:

    saloio é comigo!

    palhaço é mais acima (ou abaixo?)

  4. Prontos, Eugénia, agora a obriga-nos a passar um fim-de-semana de rato de biblioteca. Todos a ver se descobrimos como é que possidónio se transformou no qualificativo que sabemos… É só trabalhos…

  5. adelia riès diz:

    Se for a Eugénia a escrever o livro a explicar estas e outras palhaçadas, eu compro 🙂 🙂

  6. nanovp diz:

    Vou deixar o Manuel na Biblioteca ( com respeito e ansioso de ver os resultados), cá para mim estou aqui sentado a ver o Circo… acabaram de anunciar que “saem os palhaços e entram os cavalos…”

Os comentários estão fechados.