Cancioneiro, perdão, Cãocioneiro de Natal

Há mais de 13 anos que tenho o meu Cão comigo. Antes dele nascer já estava à espera que ele chegasse a casa. Toda a gente sabe. Andei mais de um ano à procura do Cão porque ele se esqueceu de avisar que ainda não tinha nascido. Só por causa disso estive para lhe chamar Cãolai Lama.

Canto-lhe canções patetas quase todos os dias – o Cãocioneiro de Natal é o que lhe cantei hoje no carro, no regresso a casa, vindos do veterinário. Se quiser repetir uma canção, a patetice é tanta que não consigo. É natural: as melhores coisas que fazemos na vida não valem nada. Descobri isso porque o Cão no banho transforma-se em gato. Para aquela aflição molhada não saltar suicidariamente da banheira e me arranhar os braços o menos possível, cantava-lhe variações disto, acrescentando bichos em cada repetição, e sei lá o que mais:  

Ter um tigre da sibéria
na banheira é um perigo
Ter um urso com um tigre na banheira
ai que pavor,
Vou chamar o meu querido
senhor Cão para me salvar deste horror

CÃOCIONEIRO DE NATAL

Este Cão é o melhor que há no mundo
das quatro patas, das duas patas,
das cem patas, que a centopeia
e do que a baleia, este Cão é melhor.
Este Cão é melhor do que um balão a passear, ó, pelo ar
do que estourar um balão, pah!, é melhor.
Não há melhor do que este Cão nem no Natal,
este Cão não tem rival, não tem igual
e é todo meu e só meu – ah ah ah ah.

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.
Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

19 respostas a Cancioneiro, perdão, Cãocioneiro de Natal

  1. Pedro Norton diz:

    Eu prometo que não vou alimentar essa conversa com animais na banheira.

  2. Cãolai Lama? Óh Eugénia, ainda põe o Tibete todo a uivar.

  3. Rita V. diz:

    O Pedro teve muita graça ah ah ah ou ão ão ão

  4. Paula Santos diz:

    E eu que me recolhia, isolada, a cantarolar ao ouvido do meu cão as “cãocões” que invento para ele ..

    Obrigada Eugénia 😉

  5. maria diz:

    Cão sortudo…

  6. Margarida diz:

    As coisas doudas que fazemos pelos nossos desmesurados e inescapáveis amores cães são, até, inenarráveis. Afirmo-o a pés juntos pelas doze patas que me acompanham.

  7. nanovp diz:

    Quem tem cão tem tudo, Eugénia, até gatos na banheira!

  8. Maria do Céu Brojo diz:

    Ai que este Cãocioneiro me deixou ainda mais pasma!

  9. Mario diz:

    vi na Primark umas roupinhas de Pai Natal para caes, um bocadinho pirosos, mas ainda assim nao deixam de ter piada 🙂

Os comentários estão fechados.