A Eusébio: a homenagem budista

 

fotografia

No tecto do mundo, antes da cerimónia budista de homenagem a Eusébio

O Pedro Norton é o mais Triste dos benfiquistas: sofre e chora nesses raros momentos em que até parece que não somos os melhores e tem essa felicidade ingénua, eu nem digo das vitórias, mas dos momentos em que o futebol é sublime e acontecem num estádio vinte minutos à Benfica.

Mas nem é disso que vos queria falar. Sucede que o  Pedro estava longe quando soube o que todos soubemos, que não voltaríamos a ver Eusébio ali, tão perto de nós, na Catedral. Eusébio ali sentado, junto à relva, a cheirar golos como quem num pescoço lindo e macio cheira uma gota de Chanel.

Não imagino, porque sei com toda a certeza, que lá longe, nas altas terras do mais feliz país do mundo, cabeça encostada à China, barriga à Índia, o Pedro se lavou em lágrimas como um menino. Despediu-se assim, em oh meu deus, oh meu deus, de Eusébio, seu amigo, seu amor. E já nem sei se foi ele que nos prometeu, se fomos nós, muito Tristes, que lhe pedimos, que ele conseguisse fazer uma cerimónia budista de homenagem a Eusébio.

Ele há-de contar tudo quando voltar. Mas quero dizer-vos que, a três mil metros de altitude, num ninho que é de tigres, um monge budista celebrou uma cerimónia fúnebre a Eusébio da Silva Ferreira, pantera negra. O Pedro Norton acaba de me dizer, de lá, de longe: “E deixei a foto do Rei no altar do tecto do Mundo.” Já estava eu, para aqui, com um nó na garganta, e chega a mensagem seguinte dele: “Posso jurar que foi uma cerimónia comovente e singela.

Tudo o que lá tenha chorado, havemos de chorar outra vez com ele, porque, dessa cerimónia budista de homenagem a Eusébio, o Pedro há-de contar tudo quando voltar. Aqui também.

Taktshang

Foi aqui: cerimónia budista a Eusébio

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

8 respostas a A Eusébio: a homenagem budista

  1. Hoje temos o facto. Esperamos o conto. Muito bom!

  2. Mario diz:

    Agora lembrei-me da cancao dos chutos: ai se ele cai….
    Ps: e tudo do Benfica neste blogue, ta-se bem

  3. nanovp diz:

    E eu posso jurar que aquelas nuvens lá no topo do mundo são “lágrimas de Portugal “

  4. António Barreto diz:

    É bonito e comovente; também fico à espera.

Os comentários estão fechados.