Agora chegamos à noite

NOCTURNO
Agora chegamos à noite.
É a hora do império da lua.
Navegamos nesta nave de todos,
somos esta ave de tolos,
o lento cruzador do céu,
chamamos-lhe Terra.

Agora chegamos à noite
É a hora do império da lua.
Atravessamos as duas partes do dia:
a da luz como a do sol, parece ter partido;
e a da luz que não se vê, se não se reflecte.
Pagamos dois tributos,
temos dois senhores
para um só Deus de simetria.
A mão esquerda e mão direita.
O bem e o mal.
E por isso temos um só coração, meu Amor.


Seasick Steve – Vocals and guitar
Amy LaVere – Vocals
John Paul Jones – Mandolin
Georgina Leach – violin

Sobre Eugénia de Vasconcellos

Escrever também é esta dor amantíssima: os lábios encostados à boca do silêncio, auscultando, e nada, esperando dele a luz que beije. É assim, pelas palavras se morre, pelas palavras se vive.

Esta entrada foi publicada em Post livre com as tags . ligação permanente.

8 respostas a Agora chegamos à noite

  1. E a solidão da lua? E a ardente solidão do sol?

  2. Mario diz:

    Nao sabia que a poesia da tia EV casava (ou vive em uniao de facto) com a musica dos hillbillys americanos. Quem sabe se ainda vemos os seus poemas cantados pelos interpretes da musica popular portuguesa, qualquer um, afinal a noite todos os gatos sao pardos 🙂

  3. nanovp diz:

    A noite expande os contrastes, bem escolhido o Seasick Steve, que agora já conheço!

  4. Ele já cá esteve em Portugal, é bom que se farta.

  5. riVta diz:

    que noite tão bonita

Os comentários estão fechados.