Só tenho mais uma hora de vida

Em resposta ao desafio da Eugénia aqui.

Coração_Belas

Parece que estou a sentir a terra ceder debaixo dos meus pés. A relva húmida ainda perfila o orvalho da superfície. A bola no bolso é limpa e colocada no TeeFaço um swing de ensaio e ajeito o Boné, que diz Titleist à frente e RitaV atrás. Respiro profundamente. Tranquila. O dia está lindo. Nem muito quente, nem muito frio, sem vento. Faço demorar uma eternidade este momento e fecho os olhos. O green, desenhado em forma de coração, espera o pisar da bola. Faço contas à distância e troco de ferro. O 7 era demais. Percorro mentalmente o swing e coloco-me à bola. No stance viro a cabeça para a esquerda, para confirmar a distância da bandeira ao centro do green. Um bunker à esquerda, água à direita e os nabos que perderam as bolas não se calam. Só tenho mais uma hora de vida, e depois espera-me outro fairway. 

x

É com a desaus­ti­nada ale­gria do Manuel Fon­seca que pro­po­nho este desa­fio maca­bro aos Tris­tes deste blog. Num exer­cí­cio de “passa a outros dois e não aos mes­mos”, desa­fio os que­ri­dos Teresa e primo Ruy a contarem-nos o que fariam na sua última hora de vida. Depois, antes de mor­re­rem, façam o favor de pas­sar a outros dois e não aos mesmos.

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

10 respostas a Só tenho mais uma hora de vida

  1. Este desafio está a revelar-se… Uma pessoa desgraça-se!, e com este Chariots of Fire, então, olhe, vou-me já embora.

  2. Rita, eu acho que até os mortos vão desatar a jogar golf.

  3. nanovp diz:

    E eu pensei que o golfe dava saude e alegria…(nunca pisei a “turf” na vida!). Gostei desta ideia de uma morte anunciada num campo liso de relva!

  4. Que hora tão verde e tão boa, Rita. Estranhamente celestial, talvez a música sublinhe. Mas dá vontade de experimentar um green um dia destes, talvez uma hora destas. A fairway to heaven 🙂

  5. Maria do Céu Brojo diz:

    Deleite sem impurezas. Gostei.

Os comentários estão fechados.