Convite do branco ao negro

convite

O que é que o convite não diz? Que a cada autora foi entregue uma cor. Que a cada autora foi pedido que escrevesse sobre a cor como lhe apetecesse. Que cada autora fizesse sua a cor como lhe apetecesse e da forma que quisesse.

Cada conto tem um desenho. O traço ao serviço das palavras como a caneta quando gasta a cor da tinta. Os desenhos foram surgindo como quiseram.

O resultado está à vista, num livro branco com letras pretas. Alguns desenhos são a cores, outros não.

Os direitos de autor revertem na íntegra para a Associação Alzheimer Portugal.

Apareçam!

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

12 respostas a Convite do branco ao negro

  1. Paula Santos diz:

    E eu já me passeio pelo verde-água da Lídia Jorge e sinto-me tão bem..:-)

  2. llopes49 diz:

    Preto do mais escuro Sff, assim estou em sintonia com o Pais.

  3. Maria do Céu Brojo diz:

    Conta comigo, Rita. E com muito gosto, acrescento.

  4. nanovp diz:

    Não interessa a cor….conta a intenção, vou tentar…

  5. ERA UMA VEZ diz:

    Vou tentar estar lá.
    Para além do interesse pelo livro e pela causa…alguma curiosidade em conhecer a RITA, A MARIA DO Céu e outras pessoas que venho visitando por aqui.

  6. A ver se lhe vou lá dar um beijinho, Rita.

Os comentários estão fechados.