Foi Linda a Festa, Pá!

Ontem, quem não esteve com a Rita nem sabe o perdido. O livro “Do Branco ao Negro” que ilustrou e onde escreveu conto vívido, perfeito na forma e que suscita reflexão, é apaixonante. Que lote de mulheres deuses!

Vá, agora, corram às livrarias. Mas eu tenho dedicatória linda. Vocês não. Este dizer serve apenas para  sentir penar os ausentes à conta do pecado venial da inveja. Eu classificá-lo-ia como mortal, mas a Madre Igreja, neste particular, é mais branda. Porque não conhece a Rita Roquette Vasconcellos nem o livro, claro!

Sobre Maria do Céu Brojo

No tempo das amoras rubras amadurecidas pelo estio, no granito sombreado pelos pinheiros, nuas de flores as giestas, sentada numa penedia, a miúda, em férias, lia. Alegre pelo silêncio e liberdade.
No regresso ao abrigo vetusto, tristemente escrevia ou desenhava. Da alma, desbravava as janelas. Algumas faziam-se rogadas ao abrir dos pinchos; essas perseguia. Porque a intrigavam, desistir era verbo que não conjugava. Um toque, outro e muitos no crescer talvez oleassem dobradiças, os pinchos e, mais cedo do que tarde, delas fantasiava as escâncaras onde se debruçaria.
Já mulher, das janelas ainda algumas restam com tranca obstinada. E, tristemente, escreve. E desenha e pinta. Nas teclas e nas telas, o óleo do tempo e dos pinceis debita cores improváveis sem que a mulher conjugue o verbo desistir. Respira o colorido das giestas, o aroma dos pinheiros nas letras desenhadas no branco, saboreia amoras colhidas nos silvedos, ilumina-a o brilho da mica encastoada no granito das penedias.

Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

19 respostas a Foi Linda a Festa, Pá!

  1. riVta diz:

    e o que eu gostei de te ver? Foi bom sim. Correu bem.
    😀

  2. ERA UMA VEZ diz:

    Quem disse que eu não tem também dedicatória linda? Quem?
    Até tem quatro viu?
    E teve abraço, tá?

    É isso:
    Foi linda a festa pá…

    • riVta diz:

      Conhecer os leitores do EET em dia de festa é outra coisa.
      🙂
      obrigada

    • Maria do Céu Brojo diz:

      Querida ‘Era uma Vez’,

      Sabe lá a alegria que tive em conversar consigo? Concedo: leve o «bolinho». Mas deixar de a ver é que não. Ler é só paliativo. 🙂

  3. O livro foi muito bem lançado, sim. Com leituras muito bem feitas. Com a nossa sereníssima Rita. Mas faltou a Eugénia que escreveu um conto fortíssimo, pintado a Rosa (e nem vos vou dizer o que é que a Rosa diz, quando lhe chamam Rosa).
    E se me perguntarem onde é que eu estava quando lançaram o “Do Branco ao Negro” eu já tenho resposta: estava lá!

  4. Pedro Bidarra diz:

    Já tinha comprado faz tempo. Os parabéns às autoras

  5. Paula Santos diz:

    E eu que já atravesso o livro por campos de violetas e me encontro num encantamento não tenho dedicatória..? 😉
    Queria tanta ter essas deusas coloridas a colorir o meu livro…quem me ajuda?

  6. Mario diz:

    Parabens a todas(os). Manuel, ainda faz sentido lancar livros em papel? e que tal outras plataformas?

  7. Céu, se era para nos deixar com invejinha por não ter ido, conseguiu!
    Tive mesmo pena. E agora só me resta amochar e arranjar o livro depressa…e dar os parabéns às autoras!

  8. nanovp diz:

    Pena muita pena…e mais parabéns sentidos….

Os comentários estão fechados.