Party girls don’t get hurt

One two three. One two three. Estas miúdas sabem o que fazem.

One two three. One two three. Magia, liberdade, sedução.

One two three. Sia, Maddie Ziegler, Sylvie Guillem

É isto que acontece quando uma miúda se lança de um Chandelier “and live like tomorrow doesn’t exist”. O faz de conta por um corpo que ainda cabe lá, intermitente no seu crescimento. Ela vai crescer no gozo, na técnica e na loucura. Os loucos nunca perdem o faz de conta, nem o medo de arriscarem: Party girls don’t get hurt.

O que há em comum entre Maddie Ziegler do Chandelier e  Sylvie Guillem? Tudo o que pertence ao poder feminino. Paixão. Continuidade. Insatisfação.

Dão-me vontade. inspiram-me. Fazem-me recolher para depois voltar e celebrar toda a graça da complexidade feminina.

One two three. One two three. Nem vou pedir licença à Tia. Vou só lançar-me do candeeiro do salão num salto determinado e nadar, voar, cair uma e outra vez até “feel my tears as they dry”

Sobre Sandra Barata Belo

Nasci em Lisboa no final da década de 70. Cresci em Alfama e nas férias, que não são grandes, vou sempre para o Alentejo.
Sou filha única, aprendi a brincar sozinha. Gosto que me contem histórias mas também gosto de as contar. A palidez da realidade pode pôr-me sem cor, por isso nada melhor que uma boa gargalhada. Gosto de coisas simples, de pessoas generosas, gosto de arte.
interpretei a grande Amália no cinema. Seguiram-se as novelas da SIC. Isso faz com que as pessoas me reconheçam na rua. Estudei no Chapitô onde aprendi todas as bases do que sei fazer hoje. Já fiz muitas coisas, dancei, fui trapezista, malabarista e clown (fica sempre melhor em inglês). Produzo, dirijo e levo a palco livros e autores que admiro. Continuo a querer fazer muitas coisas diferentes. Sou curiosa e não quero deixar de o ser.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Party girls don’t get hurt

  1. Edilson Caetano Rebouças diz:

    Acompanho seu Escrever é triste e gostei de todos os textos. Perfeito!!! Parabéns.

  2. Mario diz:

    Agora lembrei-me da Meredith Monk, a ligacao som e movimento…

  3. A Sylvie Guillem foi uma bailarina maravilhosa. Bem trazida.

  4. nanovp diz:

    Nada como o bom exemplo…para nos inspirar…

  5. Adriana diz:

    essa música é muito poderosa.

Os comentários estão fechados.