SIMPLES

Há uma única situação dramatúrgica no cinema – e para o efeito, no teatro: boy meets girl.

Se ele e ela fazem amor, é comédia. Se ele e ela não fazem, é tragédia.

That’s it. O resto, como se diz em Cedofeita, é tanga.

Sobre Pedro Marta Santos

Queria mesmo era ser o Rui Costa. Ou sonâmbulo profissional. Se não escrever, desapareço – é o que me paga as contas desde 1991 (são 20 anos de carreira, o disco está a sair). Há momentos em que gosto mais de filmes do que de pessoas, o que seria trágico se não fosse cómico – mas passa-me depressa. Também gosto dos olhos da Anna Calvi. E das bifanas do Vítor. Aprecio um brinde: “À confusão dos nossos inimigos”. Não tenho nenhuns, só uma ternura infinita pelo azul das árvores e o amarelo do mar. E peço: digam-me mentiras.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

6 respostas a SIMPLES

  1. Maria do Céu Brojo diz:

    Tanga por tanga que façam amor sem tragédia.

  2. nanovp diz:

    Ou de tanga ….

  3. Teresa Font diz:

    Pedro, diga-me que nunca percebi e ainda me rala, no Once Upon a Time in America, quem é a girl, o De Niro ou o Woods?

  4. Caríssima Teresa, o de Niro, claro. Além ser um agressivo-passivo (basta ver a necessidade que tem de violar a Elizabeth McGovern), a grande paixão da vida dele é o Woods, sobretudo após este desaparecer. As variações homoeróticas apenas confirmam a regra, na minha menos que humilde opinião, Teresa. Gosto em ouvi-la.

  5. Teresa Font diz:

    Bom dia Pedro. Mas eu não só não discordo nada da sua opinião como até concordo muito.com ela.

    Desde que chorei baba e ranho a ver “The Man who Shot Liberty Valance” que percebi serem as mais arrebatadas e inesquecíveis histórias de amor do cinema as grandes histórias de amizade.
    E qualquer rebento de romance hetero que ponha uma fohinha tenra ,de fora – erótico ou não, apesar desta imagem não ser feliz – perde a importância até ao dispensável ou só serve a verdadeira história.
    Por esta trapalhada a explicar o que se sente tão bem já vê como me agradou.perceber a beleza matemática do ‘boy meets girl ‘ ali à minha frente e eu sem dar por ela.

    Não sei se a resposta à minha pergunta interessa.Depois do café tenho quase a certeza que não e de até desvia para argumentações a latere: -‘ Ah, mas o Woods cega de ciúmes de menina quando o De Niro se distrai dele. E salvou-lhe a vida com aquela murraça 40 anos antes, pondo em perigo o resultado do seu próprio -sofisticado, planeado e impiedoso plano, atitude irracional, e impulsiva que é mais própria das amorosas do que dos amorosos, pelo menos no cinema.. E a Deborah percebeu logo quem era a rival dela, afinal viver dos proventos do crime não lhe repugnava, a sonsa..E renhonhó e rebeubéu e o que é que isso interessa para o caso, vimos todos o filme..

    E pois claro! Isto tudo está o Pedro farto de saber e usou um método mais uma vez simples e certeiro para mo fazer saber a mim: “Ai és do contra e tal?”

    Sou mas por acaso aqui não.
    E ó se gostei de ler e de pregar isto tudo.

    Leve em conta que estou do lado de fora de nariz encostado às ripas do portão.

Os comentários estão fechados.