Bidarra meets Bergman

bidarra(Notorious)

Nuno
Então, Tia, gostou deste miminho que lhe trouxe de Los Angeles? Grande surpresa.

Tia
Se querem que vos diga a verdade, não me espanta nada. O Pedro Bidarra é o Cary Grant dos meus sobrinhos. Também seria um bom Bogart, mas para Bogarts tenho mais uns quantos candidatos.

Nuno, quando me trouxeste esta preciosidade que arrancaste a um alfarrabista de Los Angeles…

Nuno
… nas costas da Hollywood Bld…

Tia
… percebi que o Pedro é um highlander. O Pedro tem séculos, mais séculos do algum dia o Christopher Lambert há-de ter. Deve ter sido escriba egípcio, um corsário inglês, até lhe acontecer ser agora português.

Em 1946, já havia um Pedro Bidarra, de olho vivo, nos bastidores o “Notorious”, e tenho a certeza de que deve ter segredado coisas ao ouvido casmurro do Alfred Hitchcock. Convenhamos, nesta foto, tanto ele como a Ingrid Bergman estão um bocadinho comprometidos. Há um traço de contrariedade no rosto do meu sobrinho, mas também a firmeza de quem já tem um plano. O meu sobrinho pode ser belo como um actor, mas não é um actor. Já a senhorinha Bergman, com aquela regalada boca, põe o ar cândido-trágico de que culpa é que eu tenho destas coisas me acontecerem.

Manuel
Tem razão, querida Tia, é o mesmo ar que ela pôs no Ritz, em Paris, quando tropeçou no Robert Capa. Para não falar da carta inocente que escreveu ao Rossellini.

Tia
Não se meta onde não é chamado, meu sobrinho Mickey Rooney, e veja se se esfalfa a procurar Avas Gardners… A questão é, com o Pedro à mão, para que é que o Hitchcock foi buscar o Grant para contracenar com a Bergman no “Notorious”? Será que o Pedro pediu uma fortuna e não chegou a acordo com o Selznick? Tenho de lhe telefonar. Ao Selznick, claro.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

2 respostas a Bidarra meets Bergman

  1. Pedro Bidarra diz:

    É muito estranho. Confesso que quando era novo (muito mais novo) tive fantasias com a Ingrid. Fantasias inocentes, só beijos e apalpões (por aqui se vê como era novo). Mas nas minhas fantasias ela era uma mulher, muitos anos mais velha que eu. Isto de ela ser uma jovem mulher e eu um velho canastrão é muito perturbador.

  2. Carla L. diz:

    Estou aqui pensando nas intenções ocultas da Ingrid, afinal, o que ela tem nas mãos, Tia?

Os comentários estão fechados.