Insultos

Tiros de canhão ou finos punhais, os insultos, na velha e clássica Hollywood, deram histórias saborosas. Conto.

halfgarbo

metade de Garbo é muito melhor do que um Mayer inteiro

1.
Creio que foi no dia em que o agente de Greta Garbo veio anunciar ao produtor Louis B. Mayer, senhor todo-poderoso da MGM, que a secretíssima actriz abandonava o cinema. Fosse como fosse, Mayer, que tudo levava como ofensa, não era de levar ofensas para casa: “Diga à senhorinha Garbo que os homens americanos não gostam de mulheres gordas.” Logo Mayer, que era tão feio.

joan-crawford

Deus é grande: vê-se bem que não era mesmo nenhuma lady

2.
Bette Davis e Joan Crawford, dois imensos galos na capoeira da Warner Bros, odiaram-se à primeira vista. Disse Davis: “Porque é que sou tão boa a fazer de cabra? Penso que é por não ser uma cabra. Se calhar é por isso que a Crawford faz sempre de lady.” Mas Joan Crawford morreu. Bette Davis foi piedosa: “Lá porque ela morreu não quer dizer que tenha mudado.”

marilyn kiss

Dá deus beijos a quem não tem nozes

3.
É a cena de “Some Like it Hot” em que todo e qualquer homem, vesgo, coxo, careca, se ofereceria para ocupar o lugar de Tony Curtis. Fazendo-se passar por um milionário de combustão lenta, Curtis pede a Marilyn Monroe que o vá beijando para ver se o motor pega. E se Marilyn o beija: frontal, horizontal, vertical, obliquamente. A um jornal, Tony Curtis declarou: “Foi como se estivesse a beijar Hitler.”

Clark Gable during a wartime stint in the US Air Force.

O táxi

4.
Se bem sei, o misantrópico Howard Hughes até apreciaria o másculo Clark Gable, embora com a pontinha de inveja que se adivinha nesta sintética descrição: “As orelhas dele fazem-no parecer um táxi com as duas portas abertas.”

A portrait of the India born US actor Merle Oberon

Mil sins são mais bonitos do que um não

5.
Da exótica Merle Oberon, que consta ser filha da sua própria irmã e não da sua mãe, a escritora Dorothy Parker disse o que só uma mulher se autoriza a dizer de outra: “Fala dezoito línguas e em nenhuma sabe dizer não.”

Cliff Osmond

Música de Osmond aos ouvidos de Dean Martin

6.
O actor Cliff Osmond entrou em quatro filmes de Billy Wilder. Na audição para “Kiss Me Stupid”, filme tão subvalorizado que já quase é só meu. Osmond tinha de cantar – no filme, era um compositor – e Wilder teve de o ouvir. Cantou. O crudelíssimo austríaco suspirou e disse-lhe: “Cliff, querido Cliff, tens o ouvido de Van Gogh para a música.”

Publicado no Expresso, sábado 29 de Setembro

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Insultos

  1. EV diz:

    Ui! Que anelinho de veneno…

  2. caruma diz:

    Agora sim : disse xixi cocó como deve ser 🙂

Os comentários estão fechados.