Quem te pôs a mão sabendo que és minha

Talvez não saibam bem quem são, mas passam agora a ser do vosso coração.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a Quem te pôs a mão sabendo que és minha

  1. Beatriz Santos diz:

    Nem pensar, no meu coração armas não entram. E as machadinhas, a brincar a brincar, mas cortam.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Claro, Beatriz, admito que sim. Mas uma canção sobre um corta-unhas não teria lá muita graça.

  2. EV diz:

    Ainda sei de cor. Esta e a Borboleta Branca: fazíamos roda, uma roda enorme, no colégio. As rodas eram os momentos calmos no recreio.

Os comentários estão fechados.