Bíblia? _ Só para Adultos!

Balthus – “The White Skirt”, 1937, expressionismo, retrato, coleção privada

Balthus – “The White Skirt”, 1937, expressionismo, retrato, coleção privada

Da Babilónia, Heródoto relatou o costume das mulheres da sociedade se oferecerem nos templos aos estrangeiros em troca de algumas moedas e oferendas para a deusa. O Livro de Josué menciona a prostituta Raab que pela bondade e coragem arriscou a vida ao esconder em casa dois espiões israelitas de visita à cidade de Jericó. Na Grécia, as hetairae conquistaram relevância social pela inteligência, pelo desprendimento, pela esperteza e pela capacidade de administração do capital; circulavam nos meios masculinos e teciam políticas. Rodopis, prostituta grega acumulou fortuna no Egito que justificou a construção duma pirâmide. “Não castigarei as filhas de Israel porque elas se prostituíram” Osaías versículo 12. Por estas e outras, conheço quem só ofereça uma Bíblia aos filhos depois dos 18 anos. Esta diversidade persiste e impede cristalizar uma ou outra versão da prostituição, decorrendo a pergunta se não é a economia que regula e define a prática.

 

Li: “Enquanto se considerar prostituta uma mulher de segunda e o sexo como algo que suja – especialmente as mulheres que se atrevem a tocá-lo já que os homens devem usar luvas – é difícil ultrapassar a cultura que penaliza a liberdade sexual feminina. E muitas vezes a simples liberdade de agir segundo a própria vontade, quando se quer menorizar essa mulher é colada a reputação mesmo sem culpa próxima ou remota. O reverso do poder do sexo também é esta perversão de enxovalhar quem atenta contra o estabelecido.” De seguida, comentário: _ “E ao gajo/utente que nome atribui? Puto?””

 

Substância não falta à perplexidade. O masculino do vulgarismo puta não existe. Equivalente, mas soando a promoção, há prostituto. Para a mulher termo pejorativo, para o homem termo profissional. O português metafórico é igualmente injusto para a mulher.

 

– Vadio: homem que não trabalha.

– Vadia: puta.

 

– Boi: homem gordo, forte.

– Vaca: puta.

 

– Aventureiro: homem que se arrisca, viajante, explorador.

– Aventureira: puta.

 

– Atirado: semelhante a aventureiro, sempre disponível.

– Atirada: puta.

 

– Garoto de rua: garoto pobre que vive na rua.

– Garota de rua: puta.

 

– Homem da vida: pessoa letrada a quem diversos meios deram sabedoria.

– Mulher da vida: puta.

 

– Ambicioso: visionário, enérgico, com metas.

– Ambiciosa: puta.

 

– Homem da noite: boémio.

– Mulher da noite: puta.

 

«Pré-conceitos» carimbam as mulheres que desrespeitam os normativos inerentes à condição de senhoras ou meninas de bem. A ciência, meteórica nas estradas do pensamento criativo, a literatura e outras manifestações culturais evoluem refletindo o presente. Todavia, preconceitos bebidos com o leito materno são insidiosos – passam de geração em geração como marcadores dominantes na herança genética. Até quando?

Sobre Maria do Céu Brojo

No tempo das amoras rubras amadurecidas pelo estio, no granito sombreado pelos pinheiros, nuas de flores as giestas, sentada numa penedia, a miúda, em férias, lia. Alegre pelo silêncio e liberdade. No regresso ao abrigo vetusto, tristemente escrevia ou desenhava. Da alma, desbravava as janelas. Algumas faziam-se rogadas ao abrir dos pinchos; essas perseguia. Porque a intrigavam, desistir era verbo que não conjugava. Um toque, outro e muitos no crescer talvez oleassem dobradiças, os pinchos e, mais cedo do que tarde, delas fantasiava as escâncaras onde se debruçaria. Já mulher, das janelas ainda algumas restam com tranca obstinada. E, tristemente, escreve. E desenha e pinta. Nas teclas e nas telas, o óleo do tempo e dos pinceis debita cores improváveis sem que a mulher conjugue o verbo desistir. Respira o colorido das giestas, o aroma dos pinheiros nas letras desenhadas no branco, saboreia amoras colhidas nos silvedos, ilumina-a o brilho da mica encastoada no granito das penedias.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

5 respostas a Bíblia? _ Só para Adultos!

  1. Mario diz:

    As classificaçoes preconceituosas que refere são, na sua maioria, verbalizadas por homens. Ora, sendo estes criados e educados fundamentalmente pelas suas maes, eu diria que e uma cosa vostra. Mulheres serias contra mulheres divertidas. Nem me meto. 🙂

  2. Henrique Monteiro diz:

    Delicada – mulher bem educada e fina
    Delicado – panasca

    Há para tudo

  3. Luiz Miguel Alcide d´Oliveira. diz:

    Uma Poesia inédita (felizmente) da minha juventude, na época do PREC:

    O que hei-de eu dizer das putas?
    Os poetas do desgosto
    Veêm-lhe sempre no rosto
    Lagriminhas mal enxutas.
    P´rás respectivas condutas
    Encontram explicação
    Nalguma fatal paixão
    Que viram desiludida
    E que as atirou p´rá vida
    Qual trapo atirado ao chão.

    Se é um poeta marxista
    (Poeta, não, digo mal)
    Se é um intelectual
    Trabalhador progressista
    Acusa o capitalista
    De a ter posto naquele estado
    Depois de a ter explorado
    E diz: Camarada puta:
    Tu e eu, a mesma luta!
    (Bom, cada um do seu lado)

    Também já sei que lá fora,
    Que isto aqui é mais pacato,
    A puta tem sindicato,
    A puta é trabalhadora
    Como a nurse, ou a doutora
    Ou a funcionária da NASA.
    Mais: são tão profissionais
    Que em termos contratuais
    Levam trabalho p´ra casa.

    Eu, que há muito as não procuro
    Nos seus locais de trabalho,
    Não as amo nem lhes ralho,
    Mas fico a pensar que é duro
    Viver à custa de um furo
    Que ao fim duns anos encrava.
    Bem sei que a vida é uma fava
    E neste mundo malvado
    Também eu sou fornicado…
    Mas mesmo assim não trocava.

  4. Se parece, se calhar, é:

  5. nanovp diz:

    Leva tempo, tempo que ás vezes até volta para trás….

Os comentários estão fechados.