Notícias do meu amigo David

Dear Facebook Friends, the rumors are not what they seem ….. It is !!! Happening again. ‪#‎TwinPeaks returns on Showtime Networks

Se o Facebook me pode servir para alguma coisa, é a de me permitir ser amigo do David Lynch. E de me dar o privilégio de ler os seus desabafos em primeira mão. Se me jurarem que sabem guardar um segredo, então aqui vai o que o David me contou ontem, claro, em mensagem codificada só para entendidos do assunto: “the rumours are not what they seem… It is !!! Happening again, Twin Peaks returns on Showtime Networks”.

Ficam pois a saber, deste amigo do David que vosso amigo é, que o regresso de Twins Peaks pela câmara do David vai ser uma realidade nos vossos écrans em 2016, precisamente 25 anos depois do agente Dale Cooper (o inesquecível Kyle McLachlan, que durante alguns anos encarnou na baliza do FC Porto, do Barcelona e da Selecção Nacional com o nome de Vítor Baía) ter ouvido de Laura Palmer a enigmática expressão “I´ll see you in 25 years”. A coisa esteve tremida, com o David a abandonar o projecto vai para um mês, segundo conta por falta de financiamento à medida das suas ambições, mas agora, jura-me ele a pés juntos, o anúncio/promessa da desaparecida Laura Palmer é mesmo para levar a sério.

Aguentem então mais um aninho (o que é isso para quem já aguentou 24?). Entretanto, se quiserem que eu vos continue a contar as últimas do David, não traiam a minha confiança, certo? Para além dos meus caros leitores e dos 1,1 milhões de amigos que o David tem no Facebook, mais ninguém sabe destas intimidades. Que sorte a minha e que sorte a vossa.

Sobre Diogo Leote

Longe vão os tempos em que me divertia a virar costas a senhoras que não gostavam de Woody Allen. Mas os preconceitos de então ficaram-me. O de preferir as vozes sofridas e os gritos de raiva, ou os sons negros e abafados, ao fogo-de-artifício dos refrões fáceis. O de só admitir happy ends em situações excepcionais, quase sempre em histórias de amor em que ninguém apostaria um cêntimo. O de não procurar encontrar explicação para os desígnios insondáveis da sedução ou para tudo o que não é dito, que é quase tudo, na grande arte. E continuo com esta mania de andar atrás da tristeza. Dizem os psicólogos que isso é um privilégio dos que não a têm no seu código genético. Eu não os desminto. A verdade é que, se não embirrasse tanto com a palavra “feliz”, até a usaria para exprimir o prazer que sinto ao escrever sobre almas abandonadas ou corações destroçados. Ainda bem que escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

3 respostas a Notícias do meu amigo David

  1. Foi muito, muito bom. Quero voltar a ver. Já. Diogo, sê o nosso guia.

  2. Diogo Leote diz:

    Que venha já, Manuel. Já nos basta termos de esperar 31 anos por bis. Nunca mais me apanham a esperar 25 anos por coisa alguma.

  3. vgrilo diz:

    E que o fogo caminhe conosco…

Os comentários estão fechados.