Stay high

meniere

Alguém chamou a “Stay High” uma ode à auto-medicação. Geralmente só ouço canções pops juvenis fora de prazo, mas esta despardalada angústia adolescente sensibiliza-me e faz-me pensar no meu singular episódio de síndrome vertiginoso (doença de Ménière se quiserem), a única vez em que o meu software destrambelhou três sistemas de uma vez só,  o visual, o vestibular e o proprioceptivo, com consequências inenarráveis na minha relação com a lei da gravidade – nunca fui tão objecto inerte na curvatura espaço-tempo, meu caro Einstein.

Mas esqueçam o professor Einstein e ouçam-me a menina Tove Lo. É sueca.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

3 respostas a Stay high

  1. llopes49 diz:

    Com uma cara bonita como esta,qualquer Gyro se descontrola.

  2. Diogo Leote diz:

    Manuel: bem vindo ao clube dos adeptos de pop juvenil imprópria para mentes juvenis.

  3. EV diz:

    Confirme, svp: em caso vertiginoso damos-lhe música?

Os comentários estão fechados.