Inflame-se este blog com as cores da revolução

ernesto-che-guevara

Para o Pedro Norton, Triste e Dilecto

A Pedro Norton

As minhas e os meus companheiros de blog vivem momentos de terrível alienação. A esmagadora pressão do mundo unidimensional que McLuan invectivou, o pesadelo climatizado a que um Henry Miller espetou o dedo no olho, essas vagas de ópio corporativo, que nem Althusser cheirou, afastam-nos do que na vida é essencial: ser Triste e escrever num blog.

Vou tentar trazê-los à razão. A partir de agora, e em missão revolucionária, dedico a cada um dos Tristes deste blog uma canção que lhes quebre as grilhetas. São gritos de revolução, gritos libertários.

Vamos por partes. A Pedro Norton, co-fundador deste blog, dedico-lhe uma canção que o volte a a unir a esse seu núcleo afectivo impensado (mas já aqui confessado) que tem de um lado o SLB e do outro Che Guevara.

Primeiro, ponho-o a ouvi-lo esta versão maravilhosa, de músicos inultrapassáveis. Só tem um defeito: talvez se estivessem desconfiadamente nas tintas para Che Guevara. Mas cantavam-lhe com excelência a excelência que ele historicamente não teve.

Já Carlos Puebla cantava-o, oficialmente, com militante convicção de corredor e um ligeiro toque de Trio Odemira. Foi esta a versão que eu cantei em Angola, nos anos de independência, ao lado de uns cubanitos vindos das berças. Lembro-me de a cantar a 50 à hora, num 2 cavalos, entre o Lobito e Benguela, ao mesmo tempo que, por aflição inultrapassável, porta do carro aberta, ia vertendo águas a favor do vento.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

8 respostas a Inflame-se este blog com as cores da revolução

  1. Manel, nosso dottore tão estimado, veja lá o que me arranja quando chegar à minha vez. Olhe que eu sou uma mulher frágil.

  2. É melhor pela combustão do capitalismo:

  3. EV diz:

    Protesto! Duas vezes: que é lá isso de PN ser o seu dilecto?! Eu é que sou. E o Che Guevara é meu. É o primeiro dos meus muitos maridos.

  4. nanovp diz:

    Revolução ou morte, venham os canhões e as granadas…

Os comentários estão fechados.