Na cozinha de Cate Blanchett

bandit~s blanch

Esta canção e este filme são dois dos meus guilty pleasures. São foleiros a olho e são lindos e são delirantes e fazem-me dançar. E fazem-me rir. A canção é da super-super-super inenarrável Bonnie Tyler e chama-se, se for cantada com o vozeirão e a energia dela, Holding Out for a Hero. O filme é de um tipo cheio de tarimba, Barry Levinson, e anda miseravelmente esquecido. Ninguém quer saber de uma comédia que faz mesmo rir e está cheia do par improvável que, juntos e bandidos, fazem Bruce Willis e Billy Bob Thornton. Depois, há-de juntar-se-lhes, amoral, cheia de vontade e de alegria mal comportada, Cate Blanchett. Se tiverem paciência de ouvir a Tyler e de verem dançar Blanchett na cena que aqui vai, percebem de certeza o que eu quero dizer. E a loucura ruiva de Blanchett põe de pé um morto. A mim, só me apetece vestir um avental e ir a correr para a cozinha dela. E se me disseram que há para aqui uns inuendos umas subreptícias sugestões, quem sou eu para vos desmentir?

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

2 respostas a Na cozinha de Cate Blanchett

  1. Diogo Leote diz:

    À Diva Blanchett tudo se perdoa. Até a Bonnie Tyler.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Mas se tudo o que na vida conta são as emoções, talvez se deva mais uma véniazita à Ms. Tyler, companheiro!

Os comentários estão fechados.