“A Forma da Água” de uma Mulher

Bryan Larsen

Bryan Larsen

Um Nobel da Física como braço-direito de Obama para as questões energéticas constituiu auspício não despiciendo pela viragem que representou. Steven Chu é um investigador ousado na procura de soluções científicas para as alterações climáticas. Dedicado apologista das fontes de energia renováveis. Audacioso e sensato – combinação que não soe primar como usual.

Porque tudo o que noticia atos ou intenções do presidente do mundo é motivo de esperança e rendição, eis quedar-me perplexa e temerosa. Crer nos messias da modernidade é tão ingénuo como levar a sério o homem que da mulher pretende o corpo e o espírito dela usa para enterrar a seta no alvo. O mesmo dizem eles, fartos de rodeios e redondilhas daquelas que de duas, uma: ou pretendem dar corda ao relógio biológico que lhes desperta a necessidade de procriar, ou dependem de um amanhã conjugal como garante de respeitabilidade e amparo. Em qualquer dos casos, um desgosto que não motiva sequer um jantar salvo se a carne, ainda assim, estiver precisada crescer. Fundamental a diferença entre homens e mulheres no governo da libido: a eles subjuga-os, a elas serve-as, ainda que passível de veemente desmentido. Eles raposas, elas uvas, ou quando o contrário vai dar ao mesmo.

Numa palestra sobre Raymond Chandler, foi dissecado o detetive particular Philip Marlowe que viria a inspirar dois lusos sucedâneos: Jaime Ramos e Filipe Castanheira que Viegas reinventou. O herói de Chandler era contrário ao estereótipo do homem que naufraga nos braços de mulheres frágeis, predispostas a adotar o estatuto de “salva-me, por favor!”. Entabulava negociações de leito e amores com fêmeas cuja fatalidade sedutora também advinha da autonomia exsudada. Não precisavam dele para nada, tão pouco lhe eram necessárias como respiração. Ou eram. Mas como golfadas de ar fresco que não temia lhe arranhassem a garganta. De hipocondríacos nada tinha personagem e autor.

Mergulhando na aventureira nebulosa de whiskies, fumo, sussurros de inconfessas clandestinidades e paixões, remanesce o detetive Salvo Montalban. Quase sobrepõe o gozo de comer beringelas à parmesã, aos prazeres esmerados que na cama lhe servem Lívia, Ingrid e Anna. Fareja-as com o olhar. Procura identificar-lhes a mola que as faz, tal como procede ao perseguir, mentalmente, um criminoso. Ceva-as com tanto de desvairo como de gelo. E elas escorrem a voluptuosa raiva da mulher que não domina nem quer, mas quer, dominar o indomável cevador do ventre que abre e no lago húmido desliza ora manso, ora cruel. Aquele que confere forma arrebatada e sabor próprio à água lasciva duma mulher é o Messias do momento – intrépido, audacioso e provocadoramente sensato. Para a líquida esperança ou fantasia o mesmo constituem Steven Chu, Obama, Marlowe ou Montalban.

Nota: “A Forma da Água” de Andrea Camilleri – Difel.

Sobre Maria do Céu Brojo

No tempo das amoras rubras amadurecidas pelo estio, no granito sombreado pelos pinheiros, nuas de flores as giestas, sentada numa penedia, a miúda, em férias, lia. Alegre pelo silêncio e liberdade. No regresso ao abrigo vetusto, tristemente escrevia ou desenhava. Da alma, desbravava as janelas. Algumas faziam-se rogadas ao abrir dos pinchos; essas perseguia. Porque a intrigavam, desistir era verbo que não conjugava. Um toque, outro e muitos no crescer talvez oleassem dobradiças, os pinchos e, mais cedo do que tarde, delas fantasiava as escâncaras onde se debruçaria. Já mulher, das janelas ainda algumas restam com tranca obstinada. E, tristemente, escreve. E desenha e pinta. Nas teclas e nas telas, o óleo do tempo e dos pinceis debita cores improváveis sem que a mulher conjugue o verbo desistir. Respira o colorido das giestas, o aroma dos pinheiros nas letras desenhadas no branco, saboreia amoras colhidas nos silvedos, ilumina-a o brilho da mica encastoada no granito das penedias.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

2 respostas a “A Forma da Água” de uma Mulher

  1. nanovp diz:

    Só agora é que realizei que o sexo deve ser diferente para os detectives…mulheres incluídas …

  2. bruto da silva diz:

    e o que é o cevador?

Os comentários estão fechados.