Memento Mori

O Manuel, Lúcifer eterno, Demo delicodoce, desafia-me a assassinar em série em nome da arte sublime da fotografia. É certo que o homem já me convenceu a fazer fotografias sórdidas em trabalho semi escravizado para a sua editora. Mas desta vez não leva mais do que um pequeno apontamento histórico. E é em memória de Mr. Bertillon.

Os quadros de homens e mulheres desaparecidas não são exactamente uma novidade. Durante séculos pintaram-se – para memória futura, como agora se diz – mortos e mortas que se penduravam por todos os salões da Europa e arredores. Mortos em vida, a lembrar o Sr. de La Palisse «qui est mort de maladie» mas que «5 minutes avant sa mort était encore en vie».

Mas é de facto com a invenção da fotografia, ou melhor do daguerreótipo, que nasce a macabra tradição de fotografar os mortos, muitas vezes ainda quentes nos seus “lits de mort“…

é o caso desta elegância branca de Victor Hugo por Nadar

é o caso desta elegância branca de Victor Hugo por Nadar

… outras tantas, com os entes queridos já frios embalsamados em ameno e artificial convívio familiar, …

la-plus-etrange-tradition-de-lepoque-victorienne-prendre-des-photos-post-mortem-19

… ou de olhos esbulhados a olhar o além de frente.

la-plus-etrange-tradition-de-lepoque-victorienne-prendre-des-photos-post-mortem-1

Enfim. Há malucos para tudo. A mim, caro Manuel, basta-me uma bandeira do Benfica e um disco pedido: Sympathy for the Devil. Posso morrer descansado?

Sobre Pedro Norton

Já vos confessei em tempos que tive a mais feliz de todas as infâncias. E se me disserem que isso não tem nada a ver com tristeza eu digo-vos que estão muito, mas muito, enganados. Sou forrado a nostalgia. Com umas camadas de mau feitio e uma queda para a neurose, concedo. Gosto de mortos, de saudades, de músicas que nunca foram gravadas, de livros desaparecidos e de filmes que poderiam ter sido. E de um bom silêncio de pai para filho. Não me chamem é simpático. Afino.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

2 respostas a Memento Mori

  1. Manuel S. Fonseca diz:

    Ó Pedro, depois de ver estas fotografias, só tenho a dizer-lhe que é muito mais maluco do que eu. Os miúdos estão mesmo mortos? The horror!
    ps- aviso os leitores Tristes que aquilo do trabalho semi-escravizado de que se queixa o Pedro é treta. Foi apenas trabalho escravizado. Não houve aqui semi coisa nenhuma.

  2. pedronorton diz:

    Mortinhos da silva. O resto tb confirmo.

Os comentários estão fechados.