2015, vai embora, não te precisamos mais, seu bicho

luanda_s.paulo_

Esse é o povo de Luanda. Sabe falar e sabe rir. Pois é, é o meu povo.

Como é que se dá nas orelhas de um ano mau? Resignamos-nos? Fingimos que é o destino? Ou vamos-nos a ele como se o raio do ano fosse o inóspito primo do nosso vizinho mais chato e lhe atestássemos uma lição das antigas?

Um cidadão angolano anónimo (pelo menos para mim), com o sentido de humor genuíno que tantas vezes vi e admirei ao povo de Luanda, chateou-se à séria com 2015. E decidiu ter uma conversinha, sentida e vibrante, com esse ano rançoso Um ralho antropomórfico, diga-se.  Sim, o cidadão caluanda tem dúvidas: não está certo de que o ano tenha mãe. Mas dúvidas à parte, esta é uma conversa desopilante e exemplar. Para ouvir já aqui em baixo.

A partir de hoje, seguindo o exemplo angolano, vou ter conversas antropomórficas com o déficit e com o pib.  A economia não vai ter sossego.

Ao meu irmão calú *, que fez esse kombaritokué ** de 2015, o meu kandando *** lá para a banda.

* luandense ** velório *** abraço
e um dia destes ainda faço um dicionário caluanda…

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

10 respostas a 2015, vai embora, não te precisamos mais, seu bicho

  1. pedronorton diz:

    Que grande sotaque dr Fonseca!

  2. EV diz:

    Já me ri perdidamente! Duas vezes…

  3. José Amorim diz:

    2,baza016 dolarangolafoice,produtonokwanza,povonomiséria,futurodofutungo,bazaquideuspede,sossegono quintal…

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Obrigado José Amorim, mas explique lá mais um bocadinho o que está atrás de cada uma das expressões… Pode ser?

  4. Luis Eme diz:

    Ora aqui está uma boa ideia para 2016. 🙂

  5. JD diz:

    Era assim que o Keta me contava o cinema que “passava” na Missão.Cada soco do Gringo era acompanhado por um Uaaaa e havia palmas na plateia sempre o que o “Rapaz” se vingava dos bandidos.
    Muitos anos de “diferença” para todos os africanos.

  6. nanovp diz:

    Só rir Manuel….Ficamos a saber que 2015 foi mesmo uma Puta de um ano, e não só em Portugal…

Os comentários estão fechados.